Volkswagen anuncia novo serviço global de compartilhamento de carros elétricos

Foto: Divulgação

Grupo alemão se junta a outros fabricantes do segmento automotivo, que investem em soluções de mobilidade sustentáveis e inovadoras

ALEXANDRE PELEGI

A consultoria global McKinsey estima que o compartilhamento de veículos atingirá, em 2030, um mercado de US$ 1,5 trilhão, com cerca de 30% da quilometragem percorrida.

O segmento automotivo está de olho nesse mercado, como é o caso da GM, maior fabricante de automóveis dos EUA, que prepara o lançamento de serviço de taxi-robô em cidades da costa leste americana. Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2018/07/04/gm-investe-em-aplicativos-de-transporte-com-carros-autonomos-eletricos/

A Volkswagen, que ainda se vê às voltas com o impacto do escândalo do dieselgate, a fraude no controle de emissões de milhões de veículos, anuncia agora que também vai entrar no mercado de serviços de carros elétricos compartilhados a partir de 2019.

Assim com a GM inicia sua plataforma nos EUA, a Volks escolheu a Alemanha para estrear a novidade. Após os primeiros testes, a fabricante alemã quer avançar para outros mercados em diversos continentes. No continente americano o alvo será a América do Norte (o Brasil ainda não está no radar), além de Ásia e Europa.

Para oferecer o serviço de “car sharing” a Volkswagen desenvolve a plataforma WE, que reunirá várias de soluções de mobilidade, com destaque para o compartilhamento de veículos elétricos. É semelhante em conceito ao FordPort, da Ford Motor Company, um aplicativo de smartphone que, eventualmente, oferecerá aos clientes tudo, desde aluguel de bicicletas a compartilhamento de carros e estacionamento com desconto nas cidades.

Jürgen Stackmann, membro do conselho da Volkswagen para vendas, justificou o investimento da fabricante alemão: “Estamos convencidos de que o mercado de compartilhamento de carros ainda tem potencial. É por isso que estamos entrando nesse mercado com um conceito holístico de fonte única cobrindo todas as necessidades de mobilidade, desde a viagem curta, que leva apenas alguns minutos, até viagens longas de férias”.

“Nossas frotas de veículos sob demanda consistirão inteiramente de carros elétricos e, portanto, fornecerão mobilidade sustentável e com emissão zero. Essa é uma maneira inteligente de aliviar a tensão nas áreas urbanas”, afirmou o executivo.

Além da GM, que desenvolve a plataforma Cruise, as alemãs BMW e Daimler já têm seus produtos disponíveis, respectivamente o DriveNow e o Car2Go.

Para desenvolver o novo business, a Volks utilizar sua divisão de mobilidade Moia, criada em 2016 com foco em carros compartilhados e em novos modelos de negócio. Já a gestão da plataforma de car sharing ficará a cargo da Urban Mobility International (UMI), subsidiária do grupo alemão em Berlim.

No rol das empresas que investem no segmento soma-se também a francesa Renault, que anunciou que lançará em setembro o seu serviço de car sharing na capital Paris, com mais de 2 mil carros em sua nova plataforma.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta