Funcionários da Reunidas Paulista celebram desenvolvimento junto com a empresa

Trabalhadores foram homenageados com prêmio Gran Ricieri, por trabalharem há mais de 15 anos na companhia

JESSICA MARQUES

Ao comemorar 70 anos, a Reunidas Paulista traz uma história de crescimento que vai muito além dos negócios. Ao longo das últimas sete décadas, a companhia investiu nos funcionários, que puderam se desenvolver profissionalmente junto com a empresa de ônibus.

Nesta sexta-feira, 29 de junho de 2018, os trabalhadores foram homenageados com o prêmio Gran Ricieri, no evento de comemoração do aniversário da empresa. A premiação engloba funcionários que estão há mais de 15 anos na companhia.

O que mais chamou a atenção nos que foram premiados é que a Reunidas deu oportunidade a todos e acompanhou o desenvolvimento das respectivas carreiras. Mais do que isso, a empresa também investiu na formação dos funcionários.

Um dos homenageados, o advogado Almir Spironelli Júnior, 48 anos, começou a trabalhar na Reunidas em agosto de 1986 como office-boy. Ao longo da carreira, fez atividades de xerox, utilizou o antigo Telex, foi transferido para o controle de pneus, para um departamento que trabalhava com a documentação da empresa junto ao DER (Departamento de Estradas e Rodagem) e para o departamento pessoal.

“Na época, a gente operava um rádio amador. A empresa tinha uma rede de comunicação com um rádio, igual um rádio de avião, para contato com as outras garagens” – lembrou Júnior.

Na época, a empresa precisava de advogados e pagou a faculdade de Júnior, para que ele pudesse subir de cargo mais uma vez e continuar a atuação na Reunidas.

“A empresa investe na carreira dos funcionários. Entendo que o tempo que você fica em uma empresa, hoje não é muito comum isso pelo problema da rotatividade, mas deveria ser o comum, ficar mais tempo dentro de uma empresa. As virtudes são que você acaba conhecendo melhor a empresa, trabalha as fragilidades e ajudar nesse sentido” – destacou o homenageado.

O sonho do gerente contábil e administrador João Batista de Moraes, 64 anos, também foi realizado na Reunidas. Em fevereiro de 1988, o funcionário começou a carreira como auxiliar de contabilidade, vindo de Goiás para trabalhar na área que mais gostava.

“A empresa proporcionou meu curso superior. Quando eu me formei, fiquei muito agradecido e sou grato à empresa até hoje por tudo o que fez por mim e faz até hoje. Bancaram minha faculdade de Economia. Me formei em 1996” – lembrou, emocionado.

No início da carreira na empresa de ônibus, como não tinha muita experiência, Moraes ficou por seis meses como auxiliar e depois assumiu a área contábil. Além disso, foi presidente da Associação dos Funcionários em 1993 e até hoje está com a função, que tem um foco social atualmente.

O advogado Roosevelt Lopes de Campos, 61 anos, também foi homenageado. Assim como os colegas, foi subindo de cargo ao longo dos anos.

“Eu entrei na empresa em agosto de 1964, como auxiliar de escritório. Ao longo desses anos, fiquei passando por outros departamentos até me formar em Direito e assumir o departamento jurídico da empresa. Foram 46 anos de prestação de serviços junto à empresa, lutando para que os objetivos fossem atendidos acima de tudo” – afirmou.

Campos passou pelo departamento de estatística, manutenção, controle de pneus, controle geral de manutenção, departamento de compras, assessoria de diretoria e, quando se formou em Direito, assumiu o departamento jurídico.

“A família Constantino sempre nos apoiou, nos deu muita condição para trabalho e confiou no trabalho da gente. É uma homenagem que eu recebo com muito carinho” – disse.

“São minha família também, porque fiquei 44 anos. Agora, a gente presta serviço para a empresa, o8 departamento jurídico é terceirizado, mas nossa relação não mudou em nada. A gente continua acompanhando o trabalho e prestando orientações jurídicas. O que eles fizeram conosco foi muito emocionante”.

Além do desenvolvimento dos funcionários, a empresa também cresceu ao longo dos 70 anos.

Relembre: Reunidas Paulista registra crescimento de 4% no número de passageiros e quer dobrar participação no fretamento e turismo

Leia também: ENTREVISTA: Reunidas comemora 70 anos com 20 ônibus novos e com serviço leito para São Bernardo do Campo, Santos e Campinas

Também foram feitas homenagens em Araçatuba e São Paulo. “Vamos continuar fazendo ao longo do ano, pois quase 12% do nosso quadro de funcionários ativos tem mais de 15 anos de casa” – disse Marcela Constantino, diretora da Reunidas.

RICIERI MARIN

05. Aurivânia Constantino e Sr Ricieri.jpg

Aurivânia Constantino e Ricieri. Foto: Divulgação.

O prêmio Gran Ricieri foi criado em homenagem a Ricieri Marin, o funcionário mais antigo da empresa, que começou antes mesmo do nome Reunidas Paulista ser instituído.

“Quando entrei, eu tinha 20 anos. Eu sou do tempo da guerra, eu estava servindo o governo na época. Quando saí do Exército, vim direto para a Reunidas e era outro dono. Eu falei para ele: Seu Zé, eu tenho vontade de trabalhar com jardineira. Naquela época era esse nome [do veículo de transporte]. Ele falou: amanhã, 6h10, o destino é para Bauru.” – relembrou Ricieri, que hoje está com 93 anos.

“No começo, eram cinco empresas, antes de ser Reunidas. Um ônibus vinha até Pirajuí, outro Pirajuí – Lins e Lins – Penápolis, porque não tinha estrada [para os outros itinerários]. Virou Reunidas há 70 anos e eu já era motorista” – contou Ricieri. “Naquele tempo [os ônibus] eram Dragon. Tinha 15 carros e eram cinco sócios.”

O apelido dele é “Tinindo”, porque ele está sempre sorrindo e responde que está “tinindo” quando perguntam como ele está. Atualmente, Ricieri trabalha na rodoviária de Bauru, recebendo os passageiros.

Antes de estar neste cargo, Ricieri trabalhou por aproximadamente 60 anos como motorista. Segundo ele, as viagens para São Paulo tiveram início quando a guerra acabou, mas a Rodovia Marechal Rondon ainda não existia.

“Eram 12 horas de viagem e quando começou a construção da Rondon, começou a diminuir, depois viraram três horas e meia” – disse. “Não tinha rodoviária, a gente parava na rua. Tinha muito passageiro. Aqui mesmo, a gente parava na praça Machado de Melo, em frente à estação de trem. O Pelé era engraxate, o pai dele morava perto de Bauru” – relembrou, rindo.

HISTÓRIA DA REUNIDAS

A Reunidas está nas estradas brasileiras desde 25 de setembro de 1948. Na época, as Empresas Reunidas Paulista de Transporte LTDA possuiam uma frota de 10 ônibus, que realizavam o transporte entre as cidades de Bauru, Pirajuí, Guarantã, Cafelândia, Lins, Penápolis e Araçatuba.

A empresa, antes situada em Lins, teve sua sede transferida para Bauru em novembro de 1952. Em 25 de março de 1969, a empresa lançou o primeiro ônibus-leito.

Confira os destaques dos 70 anos de história da Reunidas:

img20180630_11411215.jpg

img20180630_11431322-2396255254-1530371508651.jpg

HISTÓRIA DA REUNIDAS EM FOTOS

1fd61ea5-7085-4b65-a593-894e47521c4f

Raro ônibus com “carrocerias Cardoso”, da Reunidas em 1951.

f0975a52-4db3-422e-a408-4b2d311a2b64

Ônibus Scania da Reunidas, com carroceria Nicola, antecessora da Marcopolo.

edeb7bf9-cb06-4b82-b932-921468085e94.jpg

Na década dos anos 1970, ônibus Scania. Veículos tinham de ser robustos para enfrentar condições adversas.

507f35d0-953b-47a7-898f-531e3a8e3056.jpg

No Marcopolo/Scania, dos anos 1970, já era possível perceber a tradicional estrela, um dos símbolos da Reunidas.

dccc2551-8ee1-4fbc-8bfc-0e90dbd05410.jpg

O Marcopolo II representou maior categoria na ligação entre a região de Araçatuba e a capital paulista.

47768fda-f141-4cec-806c-9463dcb8b347 (1).jpg

Marcopolo III, Cummins, de 1978. Veículo diferenciado Leito, com 19 lugares, oferecia alto padrão de conforto e segurança. Ar-condicionado também não era comum nas viagens rodoviárias até então.

Nos anos da década de 1980, o Viaggio – Geração IV/ Scania, com balanço dianteiro curto, conseguia aliar conforto e robustez.

6189135d-b818-4faa-bcc9-dccf698876f7.jpg

Marcopolo Paradiso, da Geração V, representou nos anos 1990, o aumento da capacidade dos ônibus da Reunidas, sem redução de conforto.

8da11cc0-0465-4d2d-a9d6-ff6944d42391.jpg

Em 1995, a Reunidas adotou um novo padrão visual. O confortável modelo Busscar JumBuss 360, com chassi Mercedes-Benz O-400RSD marcou esta nova fase da empresa.

63876545-506d-4ed1-8c69-4dc8eac3f65c

Busscar Panorâmico DD, da Reunidas. Leito 2000 era o apelido do ônibus que iniciaria um novo milênio.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

4 comentários em Funcionários da Reunidas Paulista celebram desenvolvimento junto com a empresa

  1. albertos.fabrica@gmail.com // 1 de julho de 2018 às 09:16 // Responder

    Bom dia pessoal!
    Parabéns e felicidades a todos do Grupo Reunidas.
    Sou admirador há 40 anos, apesar de ser vendedor técnico industrial.
    Abraços
    Alberto Santos Mattos-São Paulo-Capital

  2. Do q adianta tudo isso se os ônibus vivem quebrando nas viagens ?? Falta de respeito com o consumidor . Acontece constantemente.

  3. A 10 ANOS ESTÁ EMPRESA ERA UMA MARAVILHA , DEPOIS UE MUDOU A ADM VIROU UMA só carro quebrando e velhos

  4. Ismael de Jesus Silva Mendes // 11 de julho de 2018 às 12:46 // Responder

    Um exemplo disso é a linha Jaú- São Bernardo do Campo que sempre operou com velharias e era esquecida pela empresa agora foi vendida para viação Araçatuba.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: