CPTM retoma licitação de manutenção dos trilhos

Publicado em: 20 de junho de 2018

Trem da linha 10-Turquesa,

Diário do Transporte revelou que funcionários da estatal dizem estar se “desdobrando” para fazer o trabalho que deveria ser de equipes maiores que eram terceirizadas

ADAMO BAZANI

A polêmica licitação para a manutenção dos trilhos de seis linhas da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos foi retomada nesta semana.

As indefinições sobre a realização de novos contratos se arrastam desde o ano passado.

Funcionários da CPTM, sob condição de anonimato, disseram que as linhas 7-Rubi (Jundiaí – Franco da Rocha  – Luz) e 10 Turquesa (Brás – Rio Grande da Serra), antes do fim do contrato com uma empresa particular em agosto de 2017, contavam com 300 funcionários na manutenção dos trilhos e dormentes (via permanente). Agora, são em torno de 30.

Os trabalhadores disseram também que são feitos apenas reparos emergenciais e “remendos” e relacionaram descarrilamentos que ocorreram no ano passado, em especial na linha 7, ao quadro de funcionários que consideram ser insuficiente.

A CPTM, na ocasião, negou que a quantidade de funcionários para a manutenção das vias não seja suficiente e rechaçou a denúncia de que são feitos apenas serviços emergenciais e a relação de casos de descarrilamentos de trens com o término dos contatos com empresas privadas.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/02/26/apos-fim-de-contrato-com-terceirizada-linhas-da-cptm-sofrem-problemas-de-manutencao-empresa-nega/

As novas datas para a entrega das propostas são 24 de julho para a manutenção das linhas 7-Rubi (Jundiaí – Franco da Rocha  – Luz) e 10 Turquesa (Brás – Rio Grande da Serra);  25 de julho para as linhas 11 Coral (Luz – Estudantes) e 12 Safira (Brás – Calmon Viana) e 26 de julho para as linhas 8 Diamante (Júlio Prestes – Amador Bueno) e 9 Esmeralda (Osasco – Grajaú).

Os editais já foram republicados por quatro vezes.

Pelo excesso de questionamentos sobre a licitação, a última suspensão dos editais ocorreu em março.

Depois da publicação da reportagem do Diário do Transporte sobre as denúncias de funcionários a respeito das condições da “via permanente” após o fim dos contratos com empresas particulares, o Ministério Público do Estado de São Paulo abriu inquérito civil para investigar problemas de manutenção, seguidos de risco de acidentes, na Linha 10-Turquesa da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos.

Na ação, o promotor Thomáz Yabiku afirma que a situação atual de falta de manutenção nas linhas da CPTM podem representar “ofensa aos princípios administrativos constitucionais da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, além da honestidade, imparcialidade e lealdade às instituições e constituir improbidade administrativa”.

RELEMBRE:

https://diariodotransporte.com.br/2018/02/27/ministerio-publico-abre-inquerito-para-apurar-problemas-de-manutencao-em-linhas-da-cptm/

O Diário do Transporte pediu nesta terça-feira, 19 de junho de 2018, um posicionamento da CPTM sobre a retomada da licitação, mas, por meio da assessoria de imprensa, a empresa pública se limitou a dizer para a reportagem procurar o edital no site da companhia.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Marcos José disse:

    Esses irresponsáveis vai arrastar esta licitação até após a definição das eleições e vai ficar adiando até lá. Pode ver que quando chegar próxima a data de abertura dos envelopes eles informaram o novo adiamento. Enquanto isso a população corre o serio risco de um grave acidente por falta de manutenção das vias.

Deixe uma resposta