Consórcio Internorte critica decisão que apreendeu 98 ônibus da Paranapuan e diz que está com dificuldades para cobrir linhas

A companhia tem, no total, 130 ônibus em sua frota, contando com os apreendidos. Foto: Derik Trajano

Empresa também enfrenta problemas trabalhistas

ADAMO BAZANI / JESSICA MARQUES

O Consórcio Internorte informou nesta manhã ao Diário do Transporte que está com dificuldades para cobrir com outras empresas parte dos serviços de transportes que estão sendo afetados pela apreensão de 98 ônibus da Transportes Paranapuan, que serve a região da Ilha do Governador.

Relembre: Paranapuan tem 98 ônibus apreendidos no Rio de Janeiro e situação do passageiro continua complicada nesta segunda-feira

Em nota, o consórcio classificou a decisão como “desproporcional” e diz que a empresa recorre na Justiça para reaver os 98 ônibus. A companhia tem, no total, 130 ônibus em sua frota, contando com os apreendidos. São ao todo 17 linhas com destino ao Centro, à Tijuca e bairros da Zona Norte.

Confira a nota do consórcio na íntegra:

“O Consórcio Internorte lamenta o arresto de veículos da Transportes Paranapuan e informa que tentará acionar um plano emergencial para atender a região da Ilha do Governador.

O plano porém, encontra-se limitado, devido a mais grave crise enfrentada pelo setor de transporte por ônibus. É importante lembrar que as consorciadas já estão suprindo a operação de outras empresas que paralisaram suas atividades nos últimos meses.

A Transportes Paranapuan esclarece que a medida liminar de busca e apreensão, consubstanciada na retenção de 98 coletivos de sua frota, concretiza medida desproporcional e absolutamente irrazoável. Em verdade, isto implica a interrupção deste serviço público essencial, ensejando graves prejuízos à população da Ilha do Governador e adjacências. Por fim, a empresa esclarece que as medidas judiciais cabíveis já estão sendo tomadas a fim de preservar o transporte diário de seus usuários cariocas.”

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Tiago Manoel do nascimento disse:

    Meu nome é Tiago Manoel,sou ex motorista da transportes Paranapuãn e a empresa só se encontra nessa situação por conta da pilantragem e falta de honestidade dos seus diretores e gestores para com os seus empregados pois se fosse uma empresa honesta e que agisse com honestidade teria muito menos causas trabalhistas na justiça.
    Se seus gestores realmente quisessem servir bem aos seus clientes o fariam pois as linhas que mais carregam na ilha do governador pertence a transportes Paranapuãn.

  2. Rodrigo disse:

    Acredito que a Paranapuan já deu. Não há mais espaço para essa empresa disputar lugar nas ruas do Rioi de Janeiro.
    Empresa campeã em reclamação, maior devedora em todos os setores e serviços, dentre outras calamidades.
    Já passou da hora de um renovo ocupar esse espaço. A população quer serviço oferecido com qualidade, pois se paga. Já estar mais que na hora de abrir espaço para outras empresas mesmo que de outro estado.

Deixe uma resposta