Crivella diz que fim da dupla função de motorista e cobrador nos ônibus deve ocorrer de forma gradual

Nesta terça-feira, ônibus circularam normalmente no Rio de Janeiro. Foto: Gabriel de Paiva / Agência O Globo

Acabar com o exercício das atividades acumuladas é uma das reivindicações dos rodoviários

JESSICA MARQUES

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, disse que o fim da dupla função de motorista e cobrador nos ônibus da capital é um assunto que deve ser discutido entre os trabalhadores e os empresários.

Crivella afirmou também que esse processo deve ocorrer de forma gradual, para que não haja tanto impacto no orçamento das empresas. O fim da dupla função foi uma das principais reivindicações dos rodoviários, que fizeram uma paralisação nesta segunda-feira, 11 de junho.

A afirmação foi feita nesta terça-feira, 12 de junho de 2018, durante o evento de abertura da Velo-City 2018, congresso de mobilidade urbana que acontece no Pier Mauá até o dia 15 deste mês.

“Para mim, que quero emprego na cidade e que perdemos 500 mil empregos nos últimos 3 anos, é ótimo. A Câmara dos Vereadores votou e eu posso regulamentar a qualquer momento. Mas eu preciso que isso seja feito de maneira escalonada com os empresários, que estão vivendo um problema sério de natureza econômica. Nos últimos meses fecharam 14 empresas” – disse Crivella.

A greve foi suspensa por 24 horas após reunião realizada nesta segunda-feira, 11 de junho. Motoristas, cobradores e demais funcionários do sistema aprovaram a proposta de reajuste de 7% nos salários, mas pediram que o prefeito Marcelo Crivella regulamente a lei que sancionou que impede a dupla função, pela qual o profissional dirige o ônibus e também cobra as passagens.

Relembre: Greve de ônibus no Rio de Janeiro é suspensa por 24 horas

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta