Greve dos caminhoneiros: Rodízio municipal de veículos suspenso nesta terça, ônibus continuam com frota reduzida e Metrô e CPTM vão operar em horários ampliados

Publicado em: 28 de maio de 2018

Empresas de ônibus dizem que tem combustível para operações parciais até quarta-feira

Empresas de ônibus dizem que há estoques para operações reduzidas somente até quarta-feira

ADAMO BAZANI

Os serviços de transportes devem continuar afetados na capital paulista nesta terça-feira, 29 de maio de 2018, por causa dos efeitos da paralisação dos caminhoneiros que entrou nesta segunda-feira, no oitavo dia.

A frota de ônibus deve continuar reduzida, com permissão de operação de, no mínimo, 60% do habitual para um dia útil, com média de 70%

Em entrevista coletiva o prefeito de São Paulo Bruno Covas disse que é uma questão humanitária que os caminhoneiros voltam a trabalhar.

“Neste momento, São Paulo e o Brasil já perceberam a importância que os caminhoneiros têm na questão do abastecimento e o quanto é essencial o trabalho deles, mas nós temos um problema grave de abastecimento na cidade. Quero fazer um apelo para que eles possam voltar a trabalhar”, disse o prefeito Bruno Covas.

As companhias de ônibus dizem que têm diesel para operarem com frota reduzida somente até quarta-feira.

“As empresas de ônibus afirmaram que estão se esforçando para conseguirem diesel e que a quantidade atual possibilita operações com escala reduzida somente até quarta-feira As concessionárias continuam fazendo todos os esforços para que os serviços de transporte coletivo transcorram com normalidade, garantindo que os volumes de óleo diesel recebidos são suficientes para a operação dos ônibus, ainda que com frota reduzida, até a próxima quarta-feira, dia 30, quando, esperam, estará regularizado o abastecimento das garagens”, segundo nota do SPUrbanuss, que representa as companhias do subsistema estrutural.

A frota de trólebus continua 100% operacional, mas há somente 200 veículos na cidade.

RODÍZIO:

O rodízio municipal de veículos continua suspenso nesta terça-feira, 29 de maio de 2018. A medida vem ocorrendo desde quinta-feira.

Com frota menor de ônibus em circulação e como há menos trânsito por causa do desabastecimento nos postos, na visão da prefeitura, não haveria sentido impedir a circulação dos veículos.

Conforme decreto do prefeito Bruno Covas, a Zona de Máxima Restrição à Circulação de Caminhões (ZMRC) foi liberada durante toda a semana para garantir o abastecimento de serviços essenciais da cidade.

MAIS METRÔ E CPTM:

Para compensar a redução de frota de ônibus, o Metrô, a CPTM e a Via Quatro (da Linha 4 Amarela) anunciaram ampliação dos horários de serviços e de frota em operação fora do pico.

As composições vão circular até uma hora da manhã, com exceção da linha 13-Jade, que funciona em operação assistida.

Confira a nota

Nesta terça e quarta-feira (dias 29 e 30/05), as linhas da CPTM, do Metrô e da ViaQuatro, concessionária da linha 4-Amarela, funcionarão das 4h à 1h para facilitar o deslocamento da população durante a greve dos caminhoneiros. Na madrugada desta segunda para terça-feira, as estações já permanecerão abertas até a 1h. A exceção é a linha 13-Jade da CPTM, que por enquanto funciona em operação assistida das 10h às 15h.

Desde a última quinta-feira (24), a CPTM e o Metrô já vêm operando com 100% da frota de trens inclusive nos horários de menor fluxo, o entrepicos, para reforço no transporte público na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) em função da redução dos ônibus em circulação por falta de combustível.

Para a ampliação do horário de atendimento e reforço na frota, as companhias postergaram algumas ações de manutenção preventiva das vias e dos trens, sem prejuízo à segurança dos usuários.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta