Consórcio liderado pela BYD Brasil vence licitação para implantação e operação do VLT do Subúrbio de Salvador

Foto: Sedur/Bahia

VLT metropolitano será do tipo monotrilho, e ligará a região do Comércio de Salvador até a Ilha de São João, no município de Simões Filho

ALEXANDRE PELEGI

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Governo do Estado da Bahia divulgou nesta quarta-feira, dia 23 de maio, o consórcio vencedor da licitação para implantação e operação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) do Subúrbio Ferroviário de Salvador.

O Consórcio Skyrail Bahia, liderado pela empresa BYD Brasil (Build Your Dreams) e com participação da Metrogreen apresentou proposta no modelo de Parceria Público Privada (PPP), com desconto de 0,01% na contraprestação anual, que será de R$152.977.352,12. O investimento total previsto do VLT é de R$ 1.5 bilhão.

O leilão foi realizado nesta quarta-feira, 23 de maio de 2018, na sede da Brasil Bolsa Balcão – B3 (fusão da BM&BOVESPA e Cetip), em São Paulo.

O projeto foi analisado e aprovado pela Comissão de Licitação da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur). A BYD Brasil, organização global especializada em energia limpa e atuante em 250 países, foi declarada totalmente apta para assumir a concessão do modal.

O VLT metropolitano ligará a região do Comércio de Salvador até a Ilha de São João, no município de Simões Filho, e será do tipo monotrilho, movido à propulsão elétrica, sem emissão de agentes poluentes que prejudicam o meio ambiente.

Em nota da Sedur, o secretário da Casa Civil, Bruno Dauster, afirmou que o compromisso do Governo da Bahia “é fazer o VLT virar realidade”. Dauster disse que Salvador, “uma das maiores cidades do país, precisa de um transporte público adequado para sua população. Avançamos muito com o metrô e com as novas vias estruturantes. Agora, vamos poder oferecer um transporte público de qualidade, seguro e confortável para quem mora, trabalha ou estuda em toda região do Subúrbio”, afirmou.

O secretário de Desenvolvimento Urbano, Demir Barbosa, explicou os próximos passos a partir de agora: “Seguiremos os trâmites legais para homologação da concorrência e assinatura do contrato da PPP, o que já deve ocorrer em julho”.

Após a assinatura do contrato será iniciado o cronograma dos trabalhos preliminares, o que inclui as interferências na poligonal onde será implantado o VLT, com instalação do canteiro de obras e outros procedimentos. A estimativa é que as obras devem ser iniciadas em outubro, cerca de 90 dias após a assinatura do contrato.

O edital garante a integração física do VLT com o sistema de metrô.

O consórcio vencedor pretende, com investimento adicional, implantar trecho de ligação até o Retiro, ao mesmo tempo em que o trecho Ilha de São João/Comércio estará em construção, passando pela Estação da Calçada.

Dessa forma, diz a nota da Sedur, o VLT estará adequado à lógica de mobilidade do Governo do Estado, que viabiliza o funcionamento dos modais em um sistema de rede, através de serviços complementares.

VEÍCULO LEVE SOBRE TRILHOS

O VLT, que irá substituir o atual Trem do Subúrbio, terá 19,9 quilômetros de extensão, com 22 estações. Estão previstas intervenções por trechos: o primeiro, entre o Comércio e a estação da calçada, com 3,5 quilômetros; o segundo, entre Calçada e Baixa do Fiscal, com 1,1 quilômetro; e o terceiro, entre a Baixa do Fiscal e Ilha de São João, no município de Simões Filho, com 15,3 quilômetros.

As atuais 10 estações dos trens do Subúrbio serão desativadas e reaproveitadas para prestação de outros serviços à comunidade, como postos da Polícia Militar e centros de atendimento. O modal terá capacidade de transportar cerca de 200 mil usuários por dia.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta