Domingo sem ônibus em Salvador

Publicado em: 20 de maio de 2018

Foto: ilustração

Greve do sistema de transporte municipal é protesto pela falta de acordo salarial entre categoria e Consórcio Integra

ALEXANDRE PELEGI

Como prometido pelo sindicato dos rodoviários, os ônibus não circulam nesta manhã em Salvador.

Motoristas e cobradores do sistema de transporte municipal cruzaram os braços em protesto pela falta de acordo entre a categoria e os empresários do Consórcio Integra.

Os empresários rejeitam dar o reajuste de 6% no salários e de 10% no tíquete-refeição, reivindicação dos funcionários.

A prefeitura preparou um plano de contingência, formada por 300 micro-ônibus do Subsistema de Transporte Especial Complementar (Stec), que deverão operar neste domingo para reduzir o impacto da greve dos ônibus municipais.

O consórcio Integra afirma não ter sido comunicado oficialmente da paralisação pelo sindicato, e promete descontar o dia não trabalhado.

Daniel Motta, diretor do Sindicato dos Rodoviários do estado da Bahia, afirmou ao Portal ‘Bahia Econômica’ que as empresas não depositam o FGTS há três meses. Além disso, desde janeiro as empresas não pagam o acordo da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) para os funcionários.

Os ônibus voltam a circular normalmente na segunda-feira, dia 21.

Terça-feira, às 15 horas, uma assembleia da categoria será realizada. Caso não haja nova proposta, os rodoviários prometem parar por tempo indeterminado.

HISTÓRICO

A negociação entre concessionárias e sindicato dos rodoviários tem data limite para encerrar: 30 de maio.

A Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) procura uma saída intermediária para o impasse.

Fábio Mota, secretário da Semob, revelou em entrevista que a intenção é encontrar uma proposta que seja o meio termo entre as partes.

Diante da greve anunciada para este domingo, o prefeito de Salvador, ACM Neto, convocou reunião para esta segunda-feira, pela manhã, com as empresas concessionárias, que afirmam não ter condições de atender às reinvindicações salariais dos rodoviários.

A prefeitura resiste em aumentar a tarifa, enquanto os balanços publicados pelas concessionárias indicam prejuízos superiores a R$ 300 milhões.

Leia mais: Empresários de ônibus de Salvador, pressionados por campanha salarial de rodoviários, reclamam de alta taxa de evasão e gratuidade

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Comentários

Deixe uma resposta