Campinas homologa Verssat em concessão de pontos de ônibus

Publicado em: 9 de maio de 2018

Paradas terão de ser trocadas em 36 após a assinatura dos contratos

Outorga oferecida foi de R$ 2,5 milhões. Contrato é de 20 anos, podendo ser renovado por mais 10

ADAMO BAZANI

A prefeitura de Campinas, no interior de São Paulo, homologou ontem a vitória da empresa Verssat, fabricante de mobiliário urbano, para cuidar de 900 paradas de ônibus na região central e entorno, além das que ficam ao longo dos corredores de transportes.

Ao todo, Campinas possui 5,1 mil paradas de ônibus.

Conforme noticiou o Diário do Transporte, na licitação de concessão das paradas de ônibus, foram apresentadas três propostas. O maior valor de outorga, R$ 2,5 milhões, foi oferecido pela Verssat. As outras duas propostas foram de R$ 2,35 milhões e R$ 1,532 milhão. Faltava ainda a análise da documentação.  Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/04/11/verssat-oferece-o-maior-lance-em-concessao-dos-pontos-de-onibus-de-campinas/

A partir da assinatura de contrato, a Verssat terá 36 meses para tocar todas as paradas que devem ter padronização e itens como totens com informações das linhas, iluminação de led e lixeiras.  Os abrigos terão de possuir 4 metros de comprimento, 1,80 metro de largura e 2,30 metros de altura, oferecendo, no mínimo, três bancos, um deles para obesos, e espaço para cadeira de rodas. O modelo é similar aos que já foram instalados na reestruturação da Avenida Francisco Glicério. Alguns espaços poderão ter, dependendo da infraestrutura dos locais, carregadores de celulares com tomadas USB.

O contrato deve ser de 20 anos renovável e a previsão é de que sejam investidos R$ 27,3 milhões na construção, limpeza e manutenção das paradas. O contrato pode ser ainda se renovado pro mais 10 anos.

O lucro da empresa virá da exploração de publicidade nos locais, a exemplo do contrato de 25 anos firmado em 2012 entre a prefeitura de São Paulo e o Consórcio PraSP, que em 2013 se tornou a empresa Otima, hoje liderada pelo Grupo Ruas. O contrato da capital paulista prevê investimentos de R$ 635 milhões para instalação, conservação e exploração publicitária de 6500 abrigos de ônibus e 14.700 totens de paradas.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta