Obras do BRT de Sorocaba devem começar em agosto, com construção de viaduto

Mapa divulgado pela Prefeitura de Sorocaba

Licitação para construção da passagem será aberta nas próximas semanas, segundo a Prefeitura

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE*

Com informações do jornal Cruzeiro

As obras para a implantação do BRT (Bus Rapid Transit) em Sorocaba devem começar em agosto, conforme informado pelo secretário municipal de Planejamento e Gestão, Luiz Alberto Fioravante, ao jornal Cruzeiro.

De acordo com o que foi noticiado anteriormente pelo Diário do Transporte, o prazo inicial informado pelo prefeito José Crespo era para que as construções iniciassem em julho deste ano. Após o início da operação, a conclusão deverá ocorrer em 18 meses, ainda segundo a Prefeitura, portanto, em fevereiro de 2020.

RELEMBRE: Prefeito de Sorocaba assina contrato e obras de BRT devem começar até julho

Para que o sistema possa ser implantado, será necessário construir um viaduto que ligue a Avenida Ipanema com a Rua José Joaquim Lacerda, no bairro Sônia Maria. Segundo Fioravante, a licitação será aberta nas próximas semanas e a obra será financiada pelo CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina).

A construção do viaduto havia sido citada em 2014 e seria parte do programa Mobilidade Total. Em 2015, a licitação foi suspensa, para reduzir o valor dos contratos. Na época, a obra custaria R$ 13,2 milhões aos cofres públicos.

Questionado pelo jornal Cruzeiro sobre o custo atual da obra, o secretário disse que ainda não fez os cálculos. Fioravante também disse que o viaduto é relevante para o corredor norte-sul do BRT porque a área apresenta lentidão no tráfego, o que afetaria a circulação dos ônibus.

O secretário afirmou que o Ministério das Cidades liberou R$ 134 milhões para infraestrutura de implantação do BRT e R$ 6 milhões serão a contrapartida da Prefeitura de Sorocaba. “Esse valor que é da nossa responsabilidade fica reservado para mudanças em redes de água, esgoto e outras interferências necessárias” – disse.

O prazo de concessão é de 20 anos e o valor do contrato por todo esse período é de R$ 2,4 bilhões, segundo informações da Prefeitura.

O corredor norte-sul será o primeiro a funcionar nas obras do BRT. Para isso, as ciclovias da Avenida Itavuvu serão modificadas pelo Consórcio BRT, que investirá R$ 65 milhões. Ainda segundo o secretário, o traçado exclusivo para bicicletas será mantido no canteiro central e dividirá espaço com as estações de ônibus.

O SISTEMA

Quando concluído, o BRT operará em três corredores: avenidas Itavuvu, Ipanema e Armando Pannunzio. Ao todo, serão 19 linhas. Nos corredores principais serão as seguintes: 401 – Itavuvu/Terminal Santo Antonio (TSA); 402 – Itavuvu/Campolim; 403 – Ipanema/TSA; Ipanema/Campolim; Armando Pannunzio/TSA e Armando Pannunzio/avenida São Paulo.

O sistema terá 16,7 km de faixas bidirecionais exclusivas para o BRT, com 28 estações e quatro para integração. Os três terminais serão instalados nas avenidas Antonio Silva Saladino, Ipanema e Armando Pannunzio.

“A frota será totalmente substituída por veículos novos e mais confortáveis, com ar condicionado e Wi-Fi. Serão 125 ônibus novos: 41 articulados com capacidade para 141 passageiros; 11 padrons especiais, com capacidade para 96 passageiros e 73 padrons, com capacidade para 82 passageiros. Os ônibus terão portas em ambos os lados, as da esquerda do veículo terão a mesma altura das plataformas, sem a necessidade dos passageiros descerem ou subirem escadas” –  informou a Prefeitura, em nota.

As avenidas São Paulo, Barão de Tatuí e Antônio Carlos Comitre não terão estações de BRT e terminais exclusivos, mas receberão faixas exclusivas, segundo informações do jornal Cruzeiro.

A Consor, que opera 49 linhas na cidade, terá 6 linhas BRT, que serão: 58 – Vitória Régia; 45 – Paineiras; 42 – Laranjeiras; 62 – São Bento; 62/1 – São Bento 2; 70 – Novo Horizonte. Já a STU, responsável por 58 linhas já existentes, fará 7 linhas do BRT, que serão: 11- Manchester; 15 – Jardim São Paulo; 17 – Central Parque; 60 – Ouro Fino; 63 – Esmeralda; 73 – Júlio de Mesquita; 77 Santa Bárbara. As informações são de Luiz Carlos Franchin, presidente da Urbes.

As estações para a espera serão tubulares, com ar-condicionado e Wi-Fi e o pagamento da tarifa será pago pelo passageiro no ato de entrar na estação, segundo a Prefeitura.

As obras iniciarão pelo Corredor BRT Itavuvu, que vai sair do bairro Vitória Régia até o Terminal Santo Antonio, conforme informações da administração municipal. “Serão 5,5 quilômetros de corredor, um terminal no bairro Vitória Régia, dez estações BRT e duas estações de integração. O corredor estrutural H. Matarazzo terá 1,9 km e cinco abrigos. O corredor estrutural Comendador Oeterer terá 1,7 km e seis abrigos”.

“O corredor estrutural centro vai ligar o Terminal São Paulo ao Terminal Santo Antonio, com 17 abrigos. O corredor estrutural sul terá 4 km e 28 abrigos. No corredor estrutural leste serão 5,9 km e 28 abrigos. O corredor BRT Ipanema terá 6,2 km, um terminal BRT, nove estações BRT e uma estação de integração. O corredor estrutural General Osório terá 2,2 km e 13 abrigos e o corredor BRT Oeste terá cinco quilômetros de extensão, um terminal BRT, nove estações BRT e uma estação de integração”.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: