Governo de São Paulo estuda assumir obras da linha 6-Laranja, diz Pelissioni

Linha 6 deve facilitar ligação entre a zona Noroeste e o centro

Processo de caducidade do contrato com Consórcio Move deve ter início em março

ADAMO BAZANI

O secretário dos transportes metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, disse neste sábado, 24 de fevereiro de 2018, em entrevista coletiva durante vistoria das obras do monotrilho da linha 15-Prata, que o Governo do Estado de São Paulo estuda a possibilidade de assumir as obras da linha 6 Laranja do Metrô (Brasilândia – São Joaquim).

A ligação é a primeira PPP – Parceria Público Privada para rede metroferroviária no Estado.

As obras estão paradas desde setembro de 2016.

 “Nós podemos avaliar se vamos continuar com o modelo greenfield ou em partes, ao invés de a concessionária fazer tudo, nós vamos fazer a obra. Vamos avaliar o que é mais conveniente”, disse o secretário, evitando adiantar uma decisão definitiva do governo. “É prematuro afirmar qualquer coisa.”  – disse Pelissioni.

O Consórcio Move SP, formado por Odebrecht, Queiroz Galvão e UTC, deixou de atuar nas obras alegando desequilíbrio econômico.

Houve uma tentativa de venda da concessão para um consórcio de empresas asiáticas e o Grupo RuasInvest, ligado a empresas de ônibus da capital, mas a negociação não foi para a frente.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/02/02/depois-de-negociacao-frustrada-entre-asiaticos-e-grupo-ruas-stm-notifica-odebrecht-queiroz-galvao-e-utc-quanto-a-caducidade-do-contrato-de-construcao-da-linha-6-laranja/

Pelissioni disse que nos primeiros dias de março deve ter início o processo de caducidade do contrato estabelecido com o Move SP.

O secretário afirmou ainda que após a conclusão deste processo, o Metrô deve fazer uma auditoria nos canteiros de obras.

O Move SP, de acordo com Pelissioni, já executou 100% do projeto básico e 15% das obras.

Já foram gastos pelo poder público, R$ 694 milhões na linha.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Se assumir, daqui 20 anos termina a obra.

Deixe uma resposta