Bloomberg diz que até 2025, mundo terá 1,2 milhão de ônibus elétricos

Ônibus articulado de fabricação brasileira que reúne as tecnologias híbrido e trólebus num mesmo veículo. Clique na foto para ampliar

Maior parte das unidades será na Europa, América do Norte e na China

ADAMO BAZANI

Um relatório da Agência de Mercado Bloomberg, divulgado nesta sexta-feira, 09 de fevereiro de 2018, projeta que até 2025, haverá em circulação em todo o planeta, 1,2 milhão de ônibus elétricos. O número significa 47% da frota estimada de ônibus urbanos no mundo.

O estudo projeta, assim, que o total de ônibus elétricos vai aumentar mais de três vezes em relação à frota atual. Em 2017, a Bloomberg apurou a existência de 387 mil ônibus elétricos.

A maior frota será ainda da China, cuja rede de transportes em todo o País, estima, deve ser formada por 99% de ônibus elétricos.

A cidade de Shenzhen, na China, foi a primeira do mundo, a ter uma frota com todos os ônibus elétricos, totalizando em dezembro de 2017, 16 mil veículos de transporte coletivo. Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2017/12/30/shenzhen-se-torna-a-primeira-grande-cidade-do-mundo-a-ter-100-da-frota-de-onibus-eletricos/

No País, o governo é o principal investidor em infraestrutura para recarga e desenvolvimento de novos modelos, com baterias que tenham maior autonomia.

O relatório ainda aponta como promissores os mercados de Nova York, Los Angeles, Paris e Londres.

O principal motivo para esta mudança de frota é a poluição nos grandes centros urbanos que, segundo especialistas, tem ocasionado mortes prematuras e altos volumes em recursos públicos.

Na América Latina, as projeções apontam para crescimento da frota de ônibus elétricos, mas num ritmo bem menor.

Os sistemas na região que têm mais perspectivas em curto prazo são os da cidade de São Paulo, cujos editais definitivos que devem conter a nova lei com o cronograma de redução de emissões de poluentes pelos ônibus ainda serão publicados e o Transantiago, no Chile, que está com a licitação suspensa pelo órgão que regula as concorrências no País:

https://diariodotransporte.com.br/2018/02/08/barrada-licitacao-do-transantiago-comeca-a-desagradar-grupos-internacionais/

O Brasil reúne hoje três empresas que fabricam sistemas de tração elétrica para ônibus: Eletra, de São Bernardo do Campo (elétricos com bateria, híbridos, DualBus e trólebus), BYD, de Campinas (elétricos com bateria) e Volvo, de Curitiba (híbridos), mas são poucos os sistemas que contam com uma frota que tenha ao menos uma destas tecnologias, entre os quais de Campinas (SP), ABC Paulista, São Paulo (SP), Santos (SP) e Curitiba.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

1 comentário em Bloomberg diz que até 2025, mundo terá 1,2 milhão de ônibus elétricos

  1. Amigos, bom dia.

    Exceto em Sampa, que tá mais para gasogênio.

    Melhor a Viação Garcia emprestar o modelito dela para fazer uma engenharia reversa.

    ACORDA SAMPA, MUDA BARSIL.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: