Governo argentino aumenta tarifas do transporte público, e promete dois novos aumentos para abril e junho deste ano

Os preços dos bilhetes de transporte público no país aumentarão de forma escalonada na região metropolitana de Buenos Aires, e passam a valer em fevereiro

ALEXANDRE PELEGI

Não é só no Brasil que janeiro é mês de aumento nas tarifas de ônibus, trens e metrô. A vizinha Argentina também decidiu aumentar os valores das passagens do transporte público nesta quarta-feira, dia 3 de janeiro.

Os preços dos bilhetes do transporte coletivo no país aumentarão de forma escalonada na região metropolitana de Buenos Aires, de acordo com informações do ministro dos Transportes, Guillermo Dietrich, em coletiva concedida nesta quarta-feira (3).

Os aumentos começarão a funcionar a partir de fevereiro nas tarifas de transporte de ônibus e trem, e chegam à média de 35% de reajuste. Além disso, segundo o ministro dos Transportes, estes valores serão atualizados novamente em abril e junho deste ano.

Por outro lado, o ministro disse que as tarifas sociais serão mantidas, com um desconto de 55%, e que os descontos serão crescentes à medida em que o passageiro precisar fazer transferências para completar sua viagem. Guillermo explicou que os usuários pagarão 50% do preço do segundo modo de transporte que usam e 25% do terceiro, no prazo de 2 horas.

Na prática, ele acredita, os descontos em sequência tornará mais barata a viagem de muitos argentinos que se deslocam de áreas suburbanas para trabalhar no centro de Buenos Aires.

Dietrich explicou também na coletiva que “para continuar a fazer obras, vamos fazer uma atualização tarifária de forma gradual, passo a passo”.

A tarifa mínima para ônibus, atualmente de 6 pesos, passará a custar de 8 pesos (cerca de R$ 1,40) em fevereiro, 9 pesos em abril (R$ 1,60) e 10 pesos em junho (R$ 1,75).

Já no caso do trem, a tarifa mínima oscilará entre 2,75 (R$ 0,50) e 5,5 pesos (R$ 1,00 aproximadamente), dependendo da linha ferroviária.

As mudanças nas tarifas visam reduzir os subsídios ao transporte de passageiros, ajudando o governo do presidente Maurício Macri a cortar o déficit fiscal da Argentina.

Segundo Guillermo, a mudança estrutural visa “um sistema de transporte mais rápido, mais seguro e mais confiável, que permitirá continuar fazendo as obras necessárias”. Ele informou ainda que o governo argentino quer ouvir os usuários do sistema, e para isso vai criar uma ferramenta on-line onde todos poderão sugerir mudanças no sistema de transportes.

O dinheiro já tem destinação certa: ele será usado na renovação das frotas de ônibus, para alargar as vias destinadas ao transporte público e para pavimentar estradas de terra.

“O transporte é nossa prioridade porque é o sistema mais equitativo, é o sistema que mais pessoas usam”, disse Dietrich, que ressaltou que o novo benefício se soma às tarifas sociais que já são concedidas a cerca de 4 milhões de pessoas.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

2 comentários em Governo argentino aumenta tarifas do transporte público, e promete dois novos aumentos para abril e junho deste ano

  1. Amigos, boa noite.

    “…“um sistema de transporte mais rápido,…”

    Fiscalizadora aprende ai e aplica.

    É disto que o buzão de Sampa precisa.

    ACORDA SAMPA.

    Att,

    Paulo Gil

  2. O dia que o sistema de transporte da Argentina servir de modelo para o Brasil estamos perdidos

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: