Sambaíba instala retrofit com nova tecnologia de resfriamento de motores

Equipamento foi instalado nesta quinta-feira (21) em um ônibus modelo O-500U Euro V 2013, na garagem da Vila Sabrina. Sambaíba se junta às empresas Cidade Dutra e Santa Brígida, que também farão testes de rua com nova tecnologia. Em 2018 dispositivo estará disponível para ônibus articulados

ALEXANDRE PELEGI

Como noticiado pelo Diário do Transporte em matéria publicada no dia 20 de dezembro, os testes de rua com o retrofit do EEC – Electric Engine Cooling, têm se ampliado na cidade de São Paulo. Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2017/12/20/retrofit-com-nova-tecnologia-de-resfriamento-de-motores-de-onibus-reduz-ruido-da-helice-e-indice-de-emissoes/

O EEC, sigla para Electric Engine Cooling – sistema de Resfriamento elétrico do motor, é uma nova alternativa que traz como diferencial a utilização de ventiladores elétricos que trabalham independentemente do motor, ao contrário do sistema tradicional.

Em função do sucesso inicial, e até mesmo pela necessidade premente das operadoras de ônibus de reduzir custos e ainda atender a exigências ambientais – redução do índice de  emissões e de ruído -, os testes de rua com o retrofit do EEC têm se espalhado por outras empresas do sistema de transporte público coletivo de São Paulo.

Nesta semana que passou (no dia 16 de dezembro) um retrofit do EEC produzido pela parceria Modine/SPAL foi instalado na Viação Cidade Dutra, do consórcio UNISUL.

Um novo retrofit foi instalado nesta quinta-feira em um ônibus da Viação Sambaíba, na garagem da Vila Sabrina. O veículo que fará os testes de rua é um modelo O-500U Euro V 2013.

A novidade: em 2018 o dispositivo estará disponível também para ônibus articulados.

Veja as fotos e um vídeo com o equipamento já instalado em funcionamento:

VANTAGENS DO EEC – SISTEMA DE RESFRIAMENTO ELÉTRICO DO MOTOR

Uma parceira vitoriosa entre as empresas Modine (líder global em sistemas térmicos) e SPAL Automotive (empresa italiana que fabrica eletro-ventiladores axiais e centrífugos de alta durabilidade) trouxe para o Brasil um novo sistema de arrefecimento do motor.

Diferentemente dos tradicionais sistemas de resfriamento, a solução da Modine/SPAL dispensa o uso da hélice do radiador, que normalmente é acionada diretamente pelo próprio motor do ônibus, utilizando ventiladores elétricos em lugar de caros ventiladores hidráulicos.

A tecnologia representa uma carga de trabalho a menos. Menos trabalho para o motor, mais energia que pode ser utilizada para movimentar o veículo, menos consumo de combustível.

A inovadora tecnologia surge como alternativa para resfriamento do motor de um ônibus a diesel, que além de manter a temperatura ideal de funcionamento possa produzir, de imediato, efeitos importantes como a redução de 5 a 8% no consumo de combustível e menor ruído para o ambiente externo, com baixo custo de manutenção. Esta alternativa compõe não só o caminho intermediário para uma solução ambientalmente correta, como permite às empresas atenderem a metas definidas em prazos determinados e em condições econômicas razoáveis. Ou, indo direto ao ponto, são mudanças que não afetam de forma brusca o equilíbrio econômico-financeiro do sistema de transporte coletivo.

Em agosto deste ano, Adamo Bazani visitou o stand das duas empresas na Transpúblico, feira da NTU, onde conversou com Paulo Leme, diretor geral da SPAL Automotive do Brasil, e Renato Vilches, diretor comercial da Modine. Veja no vídeo abaixo uma explicação sobre o EEC:

https://youtu.be/Kof3juOVF6Q

Assista também ao vídeo institucional que explica em detalhes o funcionamento e as vantagens do sistema “EEC” (Electric Engine Cooling – sistema de Resfriamento elétrico do motor):

 

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

6 comentários em Sambaíba instala retrofit com nova tecnologia de resfriamento de motores

  1. Gostaria de ter uma duvida esclarecida: Esse sistema é uma copia do sistema da Scania e da Volvo? Ja que elas usam ventiladores eletricos?

    • A Mercedes tbm usa ventilador eletromagnético, mas esses EEC são coisas diferentes. O sistema utilizado pela Scania e Volvo, assim como pela Mercedes, é o ventilador comum. Esse sistema EEC funciona sem ligação direta com o motor.

  2. WILLIAM DE JESUS SANTOS // 23 de dezembro de 2017 às 21:37 // Responder

    Eu acho que ja estão perdendo tempo com esses testes. Estão testando sempre em carros padron da Mercedes. Os testes já foram satisfatórios no 1 1324, tanto que rendeu até matéria aqui no DDT. Ponham logo em um articulado pra vermos se é eficiente mesmo. Os O-500U não esquentam igual os O-500UA ou UDA. Seria bom testar em Volvos e Scanias

    • Os articulados da Mercedes tiveram o sistema de admissão reposicionado minimizando o problema de aquecimento. Seria interessante testes nos articulados e superarticulados, além de chassis VW, Scania e Volvo realmente.

      No entanto, segundo a reportagem, a partir do ano que vem é que estará disponível os EEC para articulados.

  3. Amigos, bom dia.

    Muiiiiiiiiiito legal, as empresas contribuindo para o desenvolvimento de uma tecnologia.

    Nada como testes práticos, os quais realmente dirão sobre o produto e indicaram novas melhorias, se necessário for.

    Entendo que estas parcerias deveriam ser estendidas aos demais tipos de buzão verde, o que contribuiria em muito.

    Já que o Barsil gosta tanto de interferir no particular, a fiscalizadora tem o dever obrigação de por meio de Portaria obrigar cada empresa de buzão a testar no mínimo 2 buzões verde por empresa, para auxiliar no desenvolvimento industrial, incluindo ai um subsídio especial para esses buzões.

    Mas infelizmente no puuuuuuuuuder e na fiscalizadora FALTA DINÂMICA.

    MUDA BARSIL.

    Att,

    Paulo Gil

    • O problema está exatamente no subsídio. Enquanto não tiver um subsídio para um transporte menos poluente, vc só vai ver ônibus verde se alguma empresa pintá-lo nessa cor.

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. Breda é a primeira empresa do País a usar nova tecnologia de resfriamento de motores em ônibus rodoviário – Diário do Transporte
  2. SPAL, 60 anos na incessante busca pela excelência

Deixe uma resposta