MAN apresenta na Alemanha caminhão elétrico com tecnologia brasileira Eletra

Baterias podem ter recargas rápidas de 30% em até 15 minutos

Tecnologia foi desenvolvida no Brasil. Veículo tem itens que economizam energia e deixam recargas mais rápidas, de acordo com as fabricantes

ADAMO BAZANI

A MAN Volkswagen Caminhões & Ônibus apresentou no Innovation Day, em Hamburgo, na Alemanha, nesta quarta-feira, 11 de outubro de 2017, o e-Delivey, um caminhão 100% elétrico desenvolvido no Brasil. A tecnologia de tração elétrica é da empresa brasileira Eletra Industrial, de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista

O motor elétrico é WEG AL160, de 80 kW, que rende o equivalente a 109 cavalos. O modelo é um caminhão leve que, por ser elétrico, não emite poluições atmosféricas e tem baixo nível de ruído durante a operação, indicado para entregas em ambientes urbanos. É também recomendado para a classificação VUC – Veículo Urbano de Carga, denominação usada na Grande São Paulo, por exemplo.

Além disso, por não emitir muito barulho, o modelo também é considerado ideal para entregas noturnas em cidades onde há limitações de tráfego de veículos de carga durante o horário comercial.

A autonomia das baterias é de cerca de 200 quilômetros, dependendo da aplicação. O caminhão pode ser nas configurações de 9 ou 11 toneladas de PBT – Peso Bruto Total.

É possível fazer recargas rápidas de baterias em 15 minutos, assegurando em torno de 30% da carga total. O modelo ainda possui três estágios de freios de regeneração que atuam por meio do freio pneumático. É possível recuperar até 30% da energia gerada nas frenagens, que será usada para carregar as baterias responsáveis por armazenar a eletricidade usada na tração do caminhão.

O Eco-Drive Mode é outro sistema que deixa o consumo de energia elétrica do veículo mais eficiente, já que ajusta a corrente de energia de acordo com cada momento de operação, por exemplo, se o caminhão está trafegando com carga ou vazio.

O caminhão elétrico deve ser comercializado no Brasil em breve.

O e-Delivery também possui motores independentes dos motores elétricos de tração para gerar energia para luzes, ar-condicionado bombas e compressores, por exemplo.

O modelo, segundo as fabricantes, pode ter partidas em rampas de até 25% de inclinação e subidas de 30% sem nenhum tipo de perda de desempenho.

Primeiro ônibus articulado híbrido do mundo, de 1999, é de tecnologia Eletra e ainda está em operação.

A empresa Eletra, instalada em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, já tem tradição em veículos comerciais com tração elétrica. Há 30 anos desenvolve trólebus; foi responsável pelo primeiro ônibus elétrico híbrido articulado do mundo a circular comercialmente, em 1999; faz sistemas para ônibus 100% elétricos e apresentou ao mercado duas versões do Dual Bus, um conceito de ônibus elétrico que possui duas modalidades de operação reunidas em um só veículo.

Em 2015, apresentou o Dual Bus que reúne as tecnologias “elétrico-híbrido” e “trólebus”, num ônibus de 23 metros de comprimento. Em setembro deste ano, trouxe ao mercado um Dual Bus que reúne as tecnologias “elétrico-puro” e “elétrico-híbrido” num ônibus de 13,2 metros (padron).

Muitos dos modelos com tecnologia Eletra circulam pelo Corredor ABD, ente São Mateus, na zona Leste da capital paulista, e Jabaquara, na zona Sul, passando pelas cidades de Santo André, Mauá (Terminal Sônia Maria), São Bernardo do Campo e Diadema. Também opera a extensão Diadema-Brooklin.

As operações do corredor são Metra, empresa do mesmo grupo da Eletra.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

3 comentários em MAN apresenta na Alemanha caminhão elétrico com tecnologia brasileira Eletra

  1. Mais uma vez a ELETRA se destaca em inovação. Além dos ônibus híbridos, trolebus, dual-bus, etc a ELETRA traz uma solução de redução de impacto ambiental e de baixo custo operacional.
    Parabéns equipe da ELETRA!

  2. Amigos, boa noite.

    Eletra, PARABÉNS!

    Sucesso na Alemanha; não precisa de mas nada.

    Esqueçam o Barsil.

    Essa foi com luva de pelica.
    Att,

    Paulo Gil

  3. Bacana, parabéns. O futuro é esse e está batendo à porta, menos no Brasil, que despertou agora para o petróleo e o Pré-sal.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: