Cresce número de assaltos a ônibus na Grande São Luís

Apenas no primeiro semestre do ano região metropolitana da capital maranhense contabilizou 352 assaltos

ALEXANDRE PELEGI

A violência urbana parece ter entrado de vez dentro dos ônibus. O número de assaltos em coletivos nas principais regiões metropolitanas do país tem se tornado uma constante. Nos últimos meses noticiamos casos de roubos e assaltos na Grande Recife (https://diariodotransporte.com.br/2017/03/27/regiao-metropolitana-do-recife-sofre-com-assaltos-a-onibus/) e em São Paulo (https://diariodotransporte.com.br/2017/05/04/assaltos-em-onibus-da-capital-paulista-crescem-55/), apenas para citar alguns exemplos.

A insegurança embarcou também nos ônibus que servem a região metropolitana de São Luís, capital do Maranhão. Os dados são do Sindicato dos Rodoviários do estado, que contabilizou as estatísticas do primeiro semestre de 2017.

Assaltos dentro de ônibus, de acordo com levantamento do sindicato, somaram, apenas nos 30 dias do mês de junho, 40 crimes do tipo. Somando os números dos cinco meses anteriores, tem-se 352 assaltos contabilizados em 2017. Quando comparado aos dados do mesmo período de 2016 (307 ocorrências), o número atual indica que foram registrados 45 assaltos a mais neste ano.

As estatísticas colhidas pelo Sindicato dos Rodoviários têm como fonte os boletins de ocorrência das empresas de ônibus que relatam os assaltos. E segundo a entidade representativa dos rodoviários, nos últimos meses tem crescido consideravelmente o número de assaltos que as empresas de ônibus têm denunciado à polícia.

O levantamento do sindicato aponta, apenas no mês de junho de 2017, quais foram as localidades com maior número de registros de assaltos a ônibus na Grande São Luís: Terminal da Praia Grande; Centro; Turu, nas proximidades do Rio Anil Shopping, e a BR-135, com pontos críticos na área do Maracanã e Estiva.

Para o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Isaias Castelo Branco, divulgar esses índices serve para chamar a atenção das autoridades policiais. Para ele, o crime tem tomado sérias proporções.

“Nos primeiros meses do ano”, diz Isaias, “alertamos às polícias Civil e Militar que é preciso reavaliar as operações desencadeadas na cidade, que visam combater esse tipo de ação e, consequentemente, a prisão dos criminosos’.

OPERAÇÃO “BUSCA IMPLACÁVEL”:

Em 2016 a Polícia Militar do Maranhão lançou a Operação ‘Busca Implacável’, cuja estratégia era o elemento surpresa e a cobertura de corredores, pontos de ônibus e bairros. A operação inicialmente foi bem sucedida, e chegou a reduzir o número de assaltos a ônibus na região metropolitana de São Luís em alguns meses do ano passado.

A operação consiste na entrada surpresa de policiais militares nos ônibus do sistema de transporte da Região de São Luís, onde pessoas são abordadas e revistadas. É uma operação de rotina e permanente.

O objetivo, afirma a Secretaria de Estado da Segurança Pública do Maranhão, é prevenir assaltos no interior dos ônibus e ações de vandalismo. No primeiro trimestre de 2017 foram mais de 34 mil incursões a ônibus na capital.

Em abril a Secretaria anunciou que as atividades da ‘Busca Implacável’ seriam ampliadas, com a proposta de dobrar o número de abordagens nos coletivos já a partir daquele mês.

Mas o presidente do Sindicato dos Rodoviários está preocupado com o crescimento da criminalidade no interior dos ônibus. Para ele, a Operação “Busca Implacável” foi importante e extremamente exitosa nos primeiros meses, “mas agora é necessário repensá-la, já que o modelo de trabalho, ao que tudo indica, já é conhecido pelos assaltantes”, disse Isaias Castelo Branco.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: