Trânsito do Rio de Janeiro tem um acidente com vítima a cada hora

Dados são do Corpo de Bombeiros, e referem-se ao período compreendido entre os meses de janeiro e março de 2017.

ALEXANDRE PELEGI

O trânsito carioca produziu um acidente com vítima por hora. Os dados são do Corpo de Bombeiros, e referem-se ao período compreendido entre os meses de janeiro e março de 2017.

No total foram 2.912 ocorrências, com a maior parte (107) localizada somente no bairro de Bangu. Por que Bangu?

Quem explica é o diretor de Engenharia de Tráfego da CET-Rio, André Ormond. Segundo ele os bairros da Zona Oeste do Rio têm uma linha viária muito extensa e se revezam na liderança dos bairros com mais acidentes.

A avenida Brasil lidera o ranking da acidentalidade, segundo os dados divulgados pelo Corpo de Bombeiros. Com 274 acidentes no total está disparada na frente das outras vias. Em segundo lugar aparece a Avenida das Américas, com 117, seguida pela Estrada dos Bandeirantes com 50 registros.

Atravessadas pela Avenida Brasil, Bangu e Campo Grande são duas das três áreas mais perigosas, contabilizando 22 ocorrências de acidentes com acionamento dos bombeiros (a primeira é Irajá, com 29 ocorrências).

Ormond lembra que a Avenida Brasil lidera há vários anos o ranking das vias com mais acidentes. Ele explica que a CET-Rio está fazendo toda uma geometria da via para melhorar as agulhas. “Assim, os veículos mudam de pista com mais segurança. Também estamos fazendo outras mudanças para deixá-la mais segura”, ele diz.

O alto índice de acidentes da Avenida Brasil tem uma explicação, segundo os experientes donos de reboques que atuam na região. Eles contam que a maior parte dos acidentes foram causados por buracos ou problemas na sinalização quando da situação de ocorrências inesperadas, segundo relatos das vítimas.

Metade das mortes no trânsito está concentrada em apenas 30 vias do Rio de Janeiro, explica o diretor da CET-Rio. Isso explica o atual trabalho de prevenção da CET-Rio, que tem sido direcionado a esses locais.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: