Terceiro dia de greve de ônibus em Curitiba desrespeita frota mínima, diz Urbs

De acordo com gerenciadora, em horário de pico da manhã, apenas 23% dos veículos estavam circulando

ADAMO BAZANI

Entra no terceiro dia a greve de motoristas e cobradores de ônibus de Curitiba e região metropolitana.

De acordo com a Urbs – Urbanização de Curitiba S. A., gerenciadora do sistema, o índice de frota mínima determinado pela justiça está sendo descumprido pelo Sindimoc, sindicato dos motoristas e cobradores de ônibus.

De acordo com autarquia, às 6h30 estavam em circulação apenas 23% da frota.

A justiça determinou operação de 50% das escalas no horário de pico da manhã e da tarde noite e 40% nos demais horários.

Haverá uma reunião nesta sexta-feira, 17 de março de 2017, entre empresários e trabalhadores nO Tribunal Regional do Trabalho para tentar colocar fim ao impasse.

As empresas alegam prejuízos financeiros por causa do descompasso entre a demanda projetada pela Urbs e a demanda real apurada nas catracas, que foi menor. As companhias também ainda não tiveram a tarifa técnica alterada, o que deve ocorrer após a definição do reajuste salarial.

Os trabalhadores pedem aumento de 15% nos salários e as empresas oferecem 5,43% de acordo com o INPC.

Na tarde de ontem, apenas 37% da frota circulavam na capital, e 52% na região metropolitana.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes