ENTREVISTA: Donisete Braga diz “acreditar plenamente no modelo de transportes que será implantado em Mauá”

Suzantur

Ônibus da Suzantur,empresa que vai assumir totalmente os transportes em Mauá. Companhia atua desde outubro emergencialmente. Em entrevista ao Blog Ponto de Ônibus, Donisete diz que prefeitura terá controle do sistema, mesmo com o monopólio.

Donisete Braga: “Acredito plenamente no modelo de transportes que Mauá terá”
Prefeito de Mauá diz que o fato de uma empresa apenas operar todas as linhas da cidade não diminui atuação do poder público
ADAMO BAZANI – CBN
Nos próximos dias, a prefeitura de Mauá, na Grande São Paulo, deve assinar o contrato com a empresa Suzantur, declarada vencedora da licitação dos transportes municipais para operação de todas as linhas de ônibus da cidade.
Duas participantes da licitação, Viação Diadema e Princesa Eireli contestam a proposta da Suzantur, alegando que a empresa não terá condições de cumprir a idade média da frota em 2020 e que as planilhas apresentadas pela companhia não provam a viabilidade econômica-financeira. O contrato é por dez anos, renováveis por mais dez anos. Veja matéria em:
http://blogpontodeonibus.wordpress.com/2014/08/02/princesa-tambem-recorre-contra-suzantur-maua/
A licitação ocorre em meio a acusações de supostas fraudes no sistema de bilhetagem eletrônica contra as antigas operadoras do município, VCM – Viação Cidade de Mauá e Leblon Transporte de Passageiros, e às informações de mercado de que houve uma espécie de manobra para que a empresa Leblon, que não pertence a grupos de empresários que já atuam no ABC Paulista, fosse retirada para que se restabelecesse o monopólio do setor.
Ao Blog Ponto de Ônibus, nesta segunda-feira, 04 de agosto de 2014, o prefeito de Mauá, Donisete Braga, disse que o cenário proposto pelo poder público é diferente do que havia na cidade, inclusive da época na qual o empresário Baltazar José de Sousa, pelas empresas Viação Barão de Mauá e Viação Januária, controlava unicamente os serviços de transportes urbanos.
“Eu sempre fui e sou contra monopólios. Acredito plenamente neste modelo de mobilidade que Mauá terá a partir desta licitação. O fato de uma empresa operar os transportes não significa que o poder público não terá controle da situação. Pelo contrário, seremos rigorosos e a fiscalização será constante” – promete Donisete Braga.
Segundo ele, a prefeitura terá mecanismos de tecnologia e de gestão para que este controle seja mais eficiente, entre eles, sistema de GPS mais moderno para acompanhar cumprimento de itinerários e horários.
Também será possível, de acordo com Donisete Braga, o passageiro acompanhar por celular a previsão da chegada dos ônibus aos pontos, dos horários e obter informações sobre os itinerários.
O prefeito reconhece que a situação hoje dos transportes em Mauá não está boa e que atualmente a mobilidade urbana é o que tem afetado mais sua imagem como administrador.
“Nas últimas reuniões do PPA (Plano Plurianual Participativo) a saúde que também é uma das queixas da população acabou sendo superada pela questão do transporte coletivo. Sei da cobrança da população, mas eu estou seguro que este modelo vai dar certo. Não escolhemos este modelo do nada. Estive em outras cidades, como no estados do Paraná, Santa Catarina, e em São Paulo, que adotam sistemas semelhantes e que os transportes têm qualidade. Sei da responsabilidade que tenho em mãos” – complementou.
Donisete Braga ainda falou que o fato de uma empresa operar unicamente na cidade “dá mais condições de ela se organizar”. Ele citou, como exemplo, a colocação de 248 ônibus zero quilômetro, acessíveis para portadores de limitações de locomoção e que seguem já os padrões de restrição à emissão de poluentes, com base nas normas internacionais Euro V.
Esta frota significa aproximadamente 30 ônibus a mais operando na cidade em relação à quantidade atual de veículos de transporte coletivo.
A entrega da frota nova deve ocorrer até 08 de dezembro, aniversário da cidade.
“O modelo de licitação do edital é inédito e inova na cidade de Mauá. Nunca tivemos uma concessão por outorga (pela qual a empresa vencedora paga um valor ao poder público para poder operar). Apresentamos o edital, antes de ser lançado ao TJ (Tribunal de Justiça) e ao Tribunal de Contas da Cidade e não teve questionamentos” – disse Donisete Braga.
Ele ainda disse que fez uma “licitação em três meses, tempo recorde no ABC”.
Uma das exigências que ele considera como inovação é a colocação de 300 novos abrigos de ônibus na cidade com recursos da Suzantur.
RETIRADA DA VIAÇÃO CIDADE DE MAUÁ
Um dos questionamentos feitos pela população e pela reportagem é sobre o fato de duas empresas de ônibus terem sido descredenciadas, mas apenas uma ter sido retirada da noite para o dia, no caso a Leblon, e a outra empresa, Viação Cidade de Mauá, depois de oito meses ainda continuar operando.
Donisete Braga negou novamente que tivesse havido perseguição contra a Leblon.
“O que na verdade aconteceu é que as decisões se anteciparam contra a Leblon. Tivemos de respeitar essa questão jurídica. Depois vieram as decisões contra a Viação Cidade de Mauá e ainda sim, a empresa neste período teve conquistas jurídicas contra o descredenciamento, que agora já foram revertidas. Não somos contra empresários A, B ou C” – disse o prefeito de Mauá, Donisete Braga.
Aos poucos ainda a empresa contratada emergencialmente por Donisete Braga e pelo ex secretário de mobilidade urbana, Paulo Eugênio, e que teve a proposta aceita na licitação, Suzantur, tem assumido as linhas operadas pela Viação Cidade de Mauá. As linhas antes operadas pela Leblon foram entregues em um único dia à Suzantur pela prefeitura.
O descredenciamento das empresas recebe contestações judiciais até hoje.
A administração Donisete Braga acusa Viação Cidade de Mauá e Leblon de terem supostamente realizado consultas sem autorização da prefeitura ao sistema de bilhetagem eletrônica.
As empresas negam e a acusação não foi unanimidade nem na prefeitura. Em 27 de junho de 2013, a corregedora do município, Thaís de Almeida Miana, acatou as provas apresentadas pela Leblon de que não houve invasão ou fraude no sistema. A empresa argumentou que as consultas foram autorizadas pela prefeitura e que o próprio poder público treinou as companhias de ônibus. A corregedora então recomendou a realização de uma sindicância mais técnica e menos testemunhal.
A recomendação não foi seguida por Donisete Braga e nem por Paulo Eugênio que continuaram o processo de descredenciamento das duas empresas.
BILHETAGEM ELETRÔNICA:
A bilhetagem eletrônica que foi o epicentro do polêmico descredenciamento está num período de transição que não tem agradado os passageiros.
O Cartão Da Hora dá lugar ao cartão SIM – Sistema Integrado de Mauá. Passar pelas catracas do terminal central não tem sido tarefa fácil.
As filas são longas e o procedimento não é simples. Para pagar a viagem unitária, o passageiro tem de ir ao guichê com dinheiro, comprar o cartão, depois ir à catraca, aproximar do validador e após a liberação depositar o cartão no compartimento.
Segundo Donisete Braga, a migração do sistema do Cartão Da Hora para o SIM vai ocorrer até o dia 15 de agosto. A partir deste dia, quem tem créditos no Cartão Da Hora precisa fazer uma declaração de próprio punho pedindo a transferência para o novo cartão.
Ele garante também que a integração com a CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos será possível a partir de 30 de agosto. Pelo sistema, o passageiro pode ter desconto de R$ 0,50 em cada sentido de viagem. Na ida, o desconto é mais fácil, sendo automático. Para a volta, os validadores das estações de trem e metrô não vão ler o cartão SIM. O passageiro terá de comprar por R$ 3 um bilhete de papel específico. Em Mauá, este bilhete terá de ser depositado na catraca e em seguida, o passageiro terá de encostar o cartão SIM no validador. A partir daí, o desconto de R$ 0,50 será feito na catraca do ônibus municipal.
Donisete disse que o sistema do Cartão SIM possibilitará um melhor controle do poder público sobre a arrecadação.
“Mauá não tinha este controle pleno. Por este sistema, por exemplo, teremos a certeza de quanto a empresa de ônibus paga de ISS (Imposto sobre Serviços), que é um imposto municipal. Saberemos realmente quantos passageiros usam o sistema e poderemos com mais facilidade detectar fraudes no uso de gratuidade” – garantiu Donisete Braga.
Ele disse ainda que fazem parte dos projetos de Mauá para Mobilidade Urbana as reformas e construções de seis terminais de ônibus. O primeiro deve ser o “Itapark/Barão”.
De R$ 500 milhões liberados do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento para Mauá, R$ 79,5 milhões serão destinados para os terminais de ônibus.
Donisete Braga disse que ainda faz parte do objetivo da prefeitura a criação da autarquia municipal de transportes MauáTrans, que vai atuar no gerenciamento do sistema.
Ele, no entanto, evitou falar em data para que a MauáTrans venha efetivamente a atuar.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

9 comentários em ENTREVISTA: Donisete Braga diz “acreditar plenamente no modelo de transportes que será implantado em Mauá”

  1. Eleitor enganado de Mauá // 5 de agosto de 2014 às 00:13 // Responder

    Eu não acredito em nenhuma palavra desse prefeito.
    O que ele fez com a Leblon, que foi a melhor coisa nos transporte de Mauá, não se faz com ninguém e tá na cara que ele é comprado pelos empresários de ônibus.
    Mas valeu a reportagem.
    Vamos anotar tudinho o que ele prometeu e cobrar.
    Aliás, ninguém mais faz nada em Mauá.
    Teve manifestação, teve abaixo assinado. O povo assumiu a derrota para o poder dos barões de mauá????????

  2. Blá,blá,blá…será que ainda exista alguém que acredita neste desprefeito?????

  3. Amigos, bom dia.

    Uma duvida:

    A Leblon, ainda tem alguma acao judicial, que discuta o seu descredenciamento , o retorno ao sisteMA ou referente a perdas e danos financeiros e moral ?

    Adamo., vc tem alguma informacao nesse sentido.

    Se possivel, faca uma materia nesse, sentiido.

    Obrigado.

    Att,

    Paulo Gil

    • Tem sim. A questão ainda é pleiteada na Justiça:” O descredenciamento das empresas recebe contestações judiciais até hoje”.
      Assim, eventualmente se a justiça constatar possíveis irregularidades no descredenciamento, todo procedimento pode ser anulado.

      • Adamo, boa noite.

        Muito obrigado pela atencao.

        Ate ser julgado pelo Supremo, bilhoes de kilometros serao rodados, isso se o motor do buzao nao fundir.

        Esse placar sera motivo de muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiita comemoracao, independentemente de quem vencer a acao.

        Pois de qualquer forma o resultado sera PREVISIVELLLLLLLLLLLLLL.

        Se a parte “A”, vencer sera pizzza.

        Se a parte “B” vencer sera justo.

        Se der empate…, sei la, entende.

        Abcs,

        Paulo Gil

    • bom dia srs leitores primeiramente queria agradecer ao sr* adamo bazani pela reportagem , para abrir um pouco mais os olhos dos eleitores da cidade de mauá .
      bom alguem ai sabe me dizer qual a diferença entre a viação cidade mauá e suzantur ……. nenhuma sabe porque são farinha do mesmo saco , só tem onibus sucata igual os da cidade maua , os onibus da suzantur nao são adaptados para mauá vcs podem ver tem portas dos dois lados são onibus excluidos de sao paulo ou seja lixos, que viram para nossa cidade , a leblon sim era uma empresa seria q fazia manutenção preventiva em seus onibus e até bafometro em seus funcionarios . este merda de prefeito q temos oq fez ate agora . a primeira coisa q ele fez em seu mandato foi aumentar a passagem para 3,30 do dia prá noite sem avisar seus usuarios muita gente nem lembra disso né depois de muitas reclamações ele fez uma caridade e baixou de 3,30 para 3,20 ai veio as manifestações e tiveram q baixar depois de 6 meses para 3,00 q já um absurdo para maua os onibus q mais circula em maua anda no maximo 17 km ida e volta .vou parar por aqui pq quanto mais escrevo fico mais puto com este safado . só lembrando q estou de olho pelo menos para não jogar meu voto fora .

  4. Ewerton Santos Lourenço // 5 de agosto de 2014 às 19:15 // Responder

    Boa Tarde Internautas,

    Ele conseguiu sim dar um presente pra Cidade que ele tanto admira: Voltar no Tempo onde as pessoas andavam de charretes. Espero qque a ação na Justiça seja logo revista e ai sim, esse vai pagar com a Lingua.

  5. todos nos sabemos que o lote 2 está sobre ordem judicial a empresa que entra tem que saber que se a justiça der causa pra LEBLON ela volta , pq todos sabem que o prefeito agiu de corrupção para tira a LEBLON por isso esse canalha do prefeito tem que mofa na cadeia!!!!!!!!!!!!!1

  6. Sr. Donizette, estamos tirando a Dilma do poder no voto, o próximo é o senhor. Onde já se viu tirar uma empresa como a Leblon que dava qualidade e conforto para o cidadão mauaense e colocar a suzantur ( onibus velhos de uma empresa expulsa de são paulo) e achar que é melhor para o município!!!

5 Trackbacks / Pingbacks

  1. Greve de ônibus em Mauá é marcada para segunda-feira | Blog Ponto de Ônibus
  2. Greve de ônibus em Mauá | Blog Ponto de Ônibus
  3. Greve de ônibus em Mauá nesta quinta-feira | Blog Ponto de Ônibus
  4. Greve de ônibus em Mauá continua no início desta sexta-feira | Blog Ponto de Ônibus
  5. Termina greve em Mauá | Blog Ponto de Ônibus

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: