PSI para ônibus, caminhões e máquinas agrícolas continua em 2014, garante Mantega

ônibus

Ônibus fabricado neste ano. Manutenção do PSI para o ano que vem deve contribuir para ritmo de indústria e renovação das frotas nas cidades. Foto: Adamo Bazani.

PSI para ônibus e caminhões continua em 2014, garante Mantega
Medida Provisória deve liberar mais R$ 24 bilhões ainda neste ano. Benefícios devem atingir indústria, empresas de ônibus e regiões que concentram fabricantes de veículos pesados como o ABC Paulista
ADAMO BAZANI – CBN
Uma notícia considerada positiva para a indústria de ônibus e caminhões e também para os empresários que pretendem renovar as frotas ainda no final deste ano ou em 2014.
O ministro da Fazenda, Guido Mantega, garantiu nesta terça-feira, dia 26 de novembro, em reunião com empresários, que o PSI – Programa de Sustentação do Investimento será mantido em 2014.
O PSI, do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, garante financiamento a bens de capital como ônibus, caminhões e maquinas agrícolas.
Ainda neste ano, por Medida Provisória, o Governo Federal deve liberar mais R$ 24 bilhões para o BNDES financiar estes veículos, cuja demanda por crédito continua forte, de acordo com o ministro.
Em 2014, devem ser interrompidas as linhas de crédito do PSI para estados e municípios, mas para a indústria, os financiamentos continuam.
Em 2012, foram liberados pelas linhas previstas no PSI R$ 150 bilhões e neste ano o montante deve se aproximar de R$ 190 bilhões.
Para o próximo ano, ainda não foram revelados quantos recursos devem ser liberados pelo Programa de Sustentação do Investimento.
Mantega também disse que as taxas de juros podem sofrer alterações.
Além de beneficiar toda cadeia produtiva, os financiamentos também contribuem diretamente para regiões que possuem indústrias de bens de capital, como o ABC Paulista, por exemplo, que concentra parcela significativa de montadoras de ônibus e caminhões, como Mercedes Benz e Scania. Manutenção do nível de emprego com melhor desempenho das montadoras e mais arrecadação para as cidades estão entre as vantagens.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: