Liberação de verbas estaduais para transportes no ABC Paulista

ônibus

Ônibus municipal no ABC Paulista. Os transportes municipais da região tiveram a pior avaliação da pesquisa da ANTP sobre a imagem dos transportes públicos na Grande São Paulo. De acordo com o levantamento, 73% das pessoas reprovam os ônibus municipais no ABC. Falta de corredores de ônibus e de integrações são algumas das causas. Em cidades como Santo André, para se deslocar de um bairro a outro, ida e volta, é necessário fazer longas voltas e pagar 4 passagens, mesmo que os bairros sejam próximos. Governo do Estado e Consórcio Intermunicipal do ABC devem lançar oficialmente na segunda-feira Plano Regional de Mobilidade que prevê R$ 1 milhão para obras e estudos do setor nos sete municípios. Foto: Adamo Bazani

Plano de Mobilidade para o ABC deve ser oficializado na segunda-feira
Objetivo é melhorar as condições de transportes públicos com a oferta de mais integrações e qualificação de vias para meios não motorizados, como bicicletas

ADAMO BAZANI – CBN

Anunciado no ano passado, o Plano de Mobilidade Regional, uma parceria entre Governo do Estado de São Paulo e Consórcio Intermunicipal do ABC, deve ser lançado oficialmente nesta segunda-feira, dia 06 de fevereiro de 2012.
O evento de lançamento deve contar com a presença de todos os sete prefeitos do ABC, que integram o Consórcio, do Secretário Estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Paulo Alexandre Barbosa, do Secretário de Desenvolvimento Metropolitano, Edson Aparecido e outras autoridades.
O Plano vai contar a destinação de uma verba de R$ 1 milhão, sendo que R$ 800 mil são de responsabilidade do Estado de São Paulo e R$ 200 mil do Consórcio.
Entre as prioridades está a elaboração de projetos em conjunto entre todas as prefeituras para que os transportes na região sejam integrados.
Apresar de as cidades do ABC serem já há décadas interdependentes e praticamente uma sendo continuação da outra, com divisões imaginárias, no processo conhecido como conurbação urbana, e o fluxo de pessoas entre os municípios ser intenso, praticamente inexiste integração nos transportes públicos da região.
Em alguns casos, como em Santo André, com exceção do sistema de Vila Luzita, não há integração sequer dentro da cidade, sendo que para ir de um bairro a outro, mesmo que próximos, as pessoas têm de ir até o centro de Santo André e pagar uma segunda tarifa. Para poucos quilômetros, uma viagem municipal ida e volta pode custar R$ 11,60.
Este é uma das causas de os transportes municipais do ABC serem considerados um dos piores do Estado de São Paulo, de acordo com a Pesquisa “Imagem dos Transportes da Região Metropolitana de São Paulo” divulgada esta semana pela ANTP – Associação Nacional dos Transportes Públicos.
Os ônibus municipais do ABC só receberam aprovação de 27% dos passageiros. Os intermunicipais, que desde 2006 não têm a licitação realizada por contradições apontadas pelos empresários, receberam aprovação de 56%. Os trens da linha 10 Turquesa, da CPTM, que liga Rio Grande da Serra agora só até o Brás, tiveram 52% de repostas ótimo ou bom dos usuários.
Os transportes no ABC apresentam contrastes. Enquanto a grande maioria reprova os serviços municipais de ônibus, o Corredor Metropolitano ABD, que liga São Mateus a Jabaquara por municípios do ABC Paulista, recebeu aprovação de 79% dos usuários entrevistados, índice maior que do Metrô de São Paulo, que é referencial nos transportes e foi aprovado por 74% das pessoas.
Além da integração, as obras nas cidades devem se complementar, dando prioridade ao transporte público. Os recursos também devem ser destinados para a melhoria do calçamento nos deslocamentos a pé e criação de rotas e vias para bicicletas, presentes até o momento no ABC em maior número nas proximidades de parques, sendo ciclovias mais para recreação que para deslocamento.
Novas rotas de tráfego de caminhões, evitando que os veículos de carga passem por ruas movimentadas em horários de pico e campanhas incentivando o uso os transportes públicos também fazem parte do Plano que vai contar com uma série de estudos.
Os recursos de R$ 1 milhão foram incluídos na Agenda Metropolitana do ABC lançada no dia 14 de junho de 2011.
As ações previstas focam os próximos 15 anos. O ABC Paulista é responsável por 15% dos deslocamentos na região Metropolitana, o que representa 5,6 milhões de viagens diárias.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: