ÔNIBUS A ETANOL PRECISA SE TORNAR COMPETITVO, DIZ FORNECEDOR DE COMBUSTÍVEL

Niege Chavez, presidente da VIM – Viação Metropolitana, ressalta que custo operacional do ônibus a etanol é maior, mas os ganhos ambientais e as inovações tecnológicas valem a pena.

Ônibus a etanol vão circular em 3 linha a partir desta sexta-feira
Os veículos da VIM – Viação Metropolitana – prestarão serviços na Zona Sul da Capital Paulista

ADAMO BAZANI – CBN

Os 10 ônibus movidos totalmente a etanol, com 5% de aditivo, que foram apresentados nesta quinta-feira no Anhembi, zona Norte de São Paulo, já começam a prestar serviços nesta sexta-feira, dia 27 de maio de 2011, em 3 linhas da VIM – Viação Metropolitana, que opera o lote que era da Viação Paratodos, na zona Sul de São Paulo.
As linhas contempladas são:
– Jardim Miriam / Vila Gomes
– Jardim Miriam / Terminal Princesa Isabel
– Jardim Luso / Termina Princesa Isabel.
Os Caio Millennium II Scania K 270 Piso baixo a etanol são fruto de 3 anos de pesquisas.
Os veículos, segundo a VIM – Viação Metropolitana – custam R$ 100 mil a mais que um ônibus do mesmo modelo só que a diesel. O preço é de R$ 400 mil frente a R$ 300 mil dos ônibus de combustão a diesel.
O consumo é duas vezes maior. Enquanto o diesel rende 2 quilômetros por litro. O rendimento do etanol é de um 1 quilômetro por litro.
Mesmo com números inicialmente não tão atraentes para o frotista, os veículos fazem parte do compromisso do poder público municipal em fazer que todos os ônibus de São Paulo circulem até 2018 com combustíveis limpos e renováveis.
A vantagem é a menor emissão de poluentes.
O ônibus a etanol, segundo a fabricante Scania, lança 80% a menos de dióxido de carbono no ar, 90% menos de materiais particulados, 62% de enxofre a menos e reduz totalmente a emissão de enxofre.
A presidente da VIM. Niege destacou o avanço tecnológico que o ônibus representa em São Paulo;
Tem uma grande vantagem ambiental, a questão da sustentabilidade e também a importância do projeto pela questão de novas tecnologias. Tem também uma característica de inovação de projeto forte que deve melhorar a qualidade do serviço”, explica a presidente da empresa de ônibus Niege Chaves.
O projeto que já foi premiado em abril deste ano no evento da União Internacional dos Transportes Públicos, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, também será usado como exemplo em outro evento internacional, desta vez com sede em São Paulo.
Será o C – 40 (Climate Leadership Group), que reune 40 prefeitos das metrópoles mais povoadas do mundo. O evento ocorre entre 31 de maio e 02 de junho.
O C-40 visa à troca de experiências dos prefeitos da Rede C-40, associação destinada a discutir o papel das municipalidades no combate às mudanças climáticas.
A meta da Prefeitura é colocar 50 ônibus movidos a etanol nas ruas até o final deste ano.
O consumo vai ser alto, mas o fornecimento do combustível, pela parceria com a Cosan, Viação Metropolitana, Unica (União da Indústria de Cana de Açúcar) e Scania.
A Raízen, empresa resultante da joint venture entre Shell e Cosan, vai fornecer, durante um ano, 300 milhões de litros de etanol hidratado por mês para abastecer os 50 ônibus.
O presidente da Raízen, Mark Lyra, a utilização do etanol ainda não é competitiva para ônibus no Brasil. Mas ele acredita que se o combustível for usado em maior escala, ele pode se tornar mais interessante.
– A expectativa é de que, com o aumento do número de ônibus, os ganhos de escala deixem a utilização de etanol mais competitiva – disse Mark
A Prefeitura vai subsidiar parte do combustível dos ônibus da VIM.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

6 comentários em ÔNIBUS A ETANOL PRECISA SE TORNAR COMPETITVO, DIZ FORNECEDOR DE COMBUSTÍVEL

  1. Amigos, boa noite

    Matematicamente respondido, não compensa.

    Terminado o patrocínio e o subsídeo, quem arcará com os custos
    operacionais?

    Nem presisamos reponder, pois já sabemos quem pagará o pato, digo os custos.

    Os passageiros.

    Muito obrigado.

    Paulo Gil

  2. A resposta da matéria anterior está ai, subsídio ou seja, conforme o Paulo disse acima a prefeitura irá subsidiar parte desse projeto, sabe Deus até quando, ou melhor até o ano que vem quando ocorrer as eleições pois ainda não sabemos quem será o prefeito em 2013. Lembrei-me de uma experiencia que foi realizada nos anos 70 pela CMTC com ônibus movidos a alcool(etanol) um monobloco O-352 foi modificado tendo seu motor MBB trocado por um motor do caminhão Dodge movido a alcool, esse ônibus realizou testes operacionais em algumas linhas da região da Aclimação/Vial Mariana se não estou enganado na época o projeto não vingou, pois o desmpenho e consumo não compensavam o investimento. Por outro lado a Scania produz ônibus movidos a etanol na Europa, inclusive tivemos um modelo da fabrica européia realizando testes em algumas empresas de São Paulo a algunas anos atrás, li recentemente uma matéria na qual dizia qua de fato o aditivo utilizado é muito caro e para piorar não é produzido em larga escala no Brasil, ou sej, é importado. Vamos aguardar para ver no que dá, espero que a fala da presidente da VIM aconteça, com o aumento do uso desse tipo de veiculo nas empresas o custo pode baixar, forte abraço

    • Vai ser igual aqueles ônibus a GNV que há muitos anos atrás rodavam ali pelos lados da Casa Verde: onde foram parar? provavelmente em algum desmanche,

  3. Vamos lembrar de uma coisa, os contratos vencem em 2013.

  4. Amigos, boa noite

    Não é só a roda que existe.

    http://aleosp.files.wordpress.com/2008/05/1979.jpg

    http://aleosp.wordpress.com/onibus-antigos-2-fotos/

    [Créditos aos autores e ao site.]

    Grato

    Paulo Gil

  5. Gostaria que dona niege lese essa msg ? Niege o que fazer para trabalhar em uma de suas Empresa? Sou graduado em Gestão financeira e bacharel em administração gostaria de fazer parte do grupo deixei meu nome e meu email se poder responder agradeço de qualquer forma

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: