Desde acordo em 2022, Rio de Janeiro recebeu 1080 novos

Balanço é do Rio Ônibus, ao Diário do Transporte; Consórcio Internorte foi o que comprou mais coletivos ; Entre outros pontos acertados no acordo de 2022 para a melhoria dos serviços, está o pagamento de subsídios à operação, considerado essencial pela entidade

ADAMO BAZANI

Desde maio de 2022, quando foi firmado um acordo judicial entre empresas de ônibus da cidade do Rio de Janeiro, Prefeitura e Ministério Público, o sistema municipal de transportes recebeu 1080 novos coletivos.

O total engloba ônibus urbanos, micro-ônibus e executivos, entre seminovos e zero km, todos com ar condicionado.

O dado foi revelado nesta sexta-feira, 27 de outubro de 2023, ao Diário do Transporte pelo Rio Ônibus, sindicato que representa as empresas privadas.

O número não contabiliza os novos ônibus do sistema de corredores BRT (Bus Rapid Transit), que é operado pela Mobi-Rio, empresa da prefeitura.

De acordo com o Rio Ônibus, destes 1080 novos ônibus, 201 foram incluídos na frota no ano de 2022 e 879 até este mês de outubro de 2023.

A frota de ônibus das empresas da cidade totaliza 3,7 mil ônibus em operação.

Ainda de acordo com o sindicato, o Consórcio Internorte foi o que comprou mais coletivos:

Consórcio Intersul: 207

Consórcio Internorte: 470

Consórcio Transcarioca: 111

Consórcio Santa Cruz: 292

Entre outros pontos acertados no acordo de 2022 para a melhoria dos serviços, está o pagamento de subsídios à operação, considerado essencial pela entidade.

Dos 3.700 ônibus em operação, os 1080 coletivos novos equivalem a uma renovação de 29,2% da frota que circula pela capital fluminense, o que comprova a importância do pagamento do subsídio. Antes do acordo, os consórcios operavam com uma média de 2.950 ônibus. Com o salto para 3.700 veículos, o que significa um aumento de 25% na oferta. – diz o Rio Ônibus, em nota.

Conforme noticiado pelo Diário do Transporte, o acordo foi selado entre as partes na sexta-feira, 20 de maio de 2022, após a realização de quatro audiências de mediação na 8ª Vara de Fazenda Pública, no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. Com isso, a tarifa foi mantida em R$ 4,05 naquele ano.

Além de renovação da frota, a prefeitura, MP e empresas entraram em acordo para a retomada de linhas de ônibus que estavam paradas e melhor controle, inclusive com GPS, para cumprimento de viagens, horários e itinerários.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/05/22/prefeitura-do-rio-de-janeiro-detalha-acordo-judicial-com-empresas-de-onibus/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Informe Publicitário
   
Assine
     
Comentários

Comentários

  1. Valmir Soares disse:

    É necessário que as Instituições que regulam o retorno de linhas, subtraídas por um olhar errôneo de um Administrador Público, retornem com as linhas. Há áreas que usuários andam alguns quilômetros para conseguir uma condução. É necessário retornar com as linhas 781 e 782 Cascadura – Mal Hermes via Praça Seca e via Rocha Miranda.

Deixe uma resposta