EMTU habilita três propostas em terceira fase da licitação para gerenciamento das obras do Viaduto Carapicuíba

O corredor Itapevi-São Paulo começa junto à Estação Itapevi, da CPTM, até Terminal Amador Bueno (Vila Yara - foto), na divisa entre Osasco e São Paulo

No julgamento da documentação (habilitação), apenas três empresas/consórcios prosseguem; comissão licitante abriu cinco dias de prazo para recursos

ALEXANDRE PELEGI

A EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) divulgou neste sábado, 06 de agosto de 2022, em Ata publicada no Diário Oficial, o resultado da terceira fase da licitação destinada a contratar de serviços de engenharia para apoio ao gerenciamento, supervisão, fiscalização e gestão ambiental para a execução das obras de implantação do Viaduto Carapicuíba.

O certame foi lançado em 20 de abril de 2022, e oito consórcios apresentaram propostas.

De acordo com a Comissão de Licitação, apenas o Consórcio Gerenciador do Corredor Metropolitano (EBEI, High Tech Consultantes e Progetto) foi desclassificado na primeira fase.

No último sábado, 30 de julho, a EMTU divulgou a segunda fase, de julgamento das propostas técnicas e de preços da licitação, classificando as oito empresas/consórcios por ordem da média das notas técnica e de preços.

Na Ata publicada neste sábado (06), em que foram abertos o terceiro envelope com os documentos técnicos das licitantes, apenas três empresas/consórcios passaram pela avaliação licitante e prosseguem no certame: a TÜV Rheinland Ductor, o Consórcio Gestor Carapicuíba-Osasco (Egis, Planal e CRA Eng); e o Consórcio Gersufi Carapicuíba – CE (Cobrape e Nova Engevix).

Na segunda fase, em que foram divulgados o resultado do julgamento das propostas técnicas e de preços da licitação, essas três licitantes obtiveram as seguintes notas:

TÜV Rheinland Ductor LtdaNF de 91,57 (NP de 99,92 e NT de 86,0)

Consórcio Gersufi Carapicuíba – CE (Cobrape e Nova Engevix)NF de 89,44 (NP de 100,00 e NT de 82,4)

Consórcio Gestor Carapicuíba-Osasco (Egis, Planal e CRA Eng.) – NF de 83,66 (NP de 79,55 e NT de 85,0)

O processo licitatório visa contratar os serviços de engenharia para apoio ao gerenciamento, supervisão, fiscalização e gestão ambiental das obras de implantação do Viaduto Carapicuíba, muro de divisa com a CPTM, e 2,2 km de viário e duas paradas de embarque e desembarque.

Tais implantações serão parte integrante do Corredor Metropolitano Itapevi-SP, localizado no trecho Carapicuíba – Osasco na Região Metropolitana de SP (RMSP).

As demais empresas que passaram na segunda fase e não prosseguem no certame são:

= Consórcio SG Carapicuíba (Sondotécnica e Geribello) – NF de 90,00 (NP de 97,51 e NT de 86,4)

= Consórcio Gerenciador Pentágono TCRE (Pentágono e TCRE) – NF de 88,14 (NP de 91,06 e NT de 86,2)

= Consórcio Itapevi ME (Encibra e Maubertec) – NF de 88,00 (NP de 92,81 e NT de 84,8)

= Consórcio Apoio CCA (C3, Ambiente Brasil e Alphageos) – NF de 86,37 (NP de 89,92 e NT de 84,0)


HISTÓRICO

Como mostrou o Diário do Transporte, a EMTU encerrou a licitação para a execução das obras de implantação do Viaduto Carapicuíba, parte integrante do Corredor Metropolitano Itapevi-São Paulo, localizado no trecho Carapicuíba – Osasco na Grande São Paulo, em outubro de 2021.

A estatal homologou para o Consórcio Trail / A. Madeira o objeto da licitação ao preço de R$ 67 milhões (R$ 66.867.846,10).

O contrato de implantação do equipamento do Corredor Metropolitano inclui a execução das obras do Viaduto Carapicuíba, 2,2 km de viário e 2 paradas de embarque e desembarque, bem como a elaboração do projeto executivo. O objeto inclui também a aprovação junto à CPTM do projeto executivo do muro e do viaduto e a obtenção da LI (Licença de Instalação) do Viaduto Carapicuíba junto à CETESB.

Caberá à empresa contratada na nova licitação lançada pela EMTU o gerenciamento, supervisão, fiscalização e gestão ambiental desse contrato.

No dia 26 de junho de 2022 o governador Rodrigo Garcia autorizou formalmente o início da obras. Relembre: Governo de São Paulo autoriza o início das obras do Viaduto Carapicuíba

CORREDOR

O corredor Itapevi-São Paulo passará pelos municípios de Itapevi, Jandira, Barueri, Carapicuíba, Osasco e São Paulo. O traçado começa junto à Estação Itapevi, da CPTM, até Terminal Amador Bueno (Vila Yara), na divisa entre Osasco e São Paulo.

O novo sistema, com 23,6km de extensão, promoverá maior mobilidade à população por conta de sua integração com a rede metroferroviária.

Serão construídos novos terminais, estações de transferência, estações de embarque e desembarque e outras intervenções urbanas.

No trecho Carapicuíba – Osasco, no km 21, estão estão previstas duas estações de embarque e desembarque, um viaduto em Carapicuíba e alças de acesso, agora em fase de licitação.

O Terminal Luiz Bortolosso (Osasco – km 21) foi entregue em 2017, com seis plataformas, elevadores, escadas rolantes, banheiros e bilheterias.

Como noticou o Diário do Transporte, a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), a CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) e a prefeitura de Carapicuíba, na Grande São Paulo, firmaram um termo de cooperação para remoção e atendimento de famílias que ocupam áreas onde deve ser instalado o viaduto Carapicuíba que integra o corredor.

A estrutura vai interligar a avenida Desembargador Dr. Cunha de Abreu, o complexo viário da lagoa e o viaduto que liga Carapicuíba a Barueri.

Relembre:

ATA DO JULGAMENTO:

 


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta