VÍDEO: Ônibus da Pirajuçara pega fogo na manhã desta terça (05) após falha mecânica

Ocorrência foi registrada por volta das 7h na Rodovia Régis Bittencourt, em Embu das Artes. Foto: Redes Sociais

Passageiros da linha 090 deixaram o veículo às pressas; ninguém se feriu; EMTU diz que vistoria está em dia e apura circunstâncias da ocorrência

ALEXANDRE PELEGI

Um vídeo de um ônibus da Viação Pirajuçara pegando fogo e com os passageiros saindo desesperados do veículo espalhou-se pelas redes sociais na manhã deste terça-feira, 05 de julho de 2022 (veja abaixo).

O Diário do Transporte solicitou detalhes à EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) sobre o ocorrido.

De acordo com nota da empresa gerenciadora do transporte metropolitano, o ônibus operava a linha intermunicipal 090, apresentou falha mecânica e registro de fumaça.

A ocorrência foi registrada por volta das 7h na Rodovia Régis Bittencourt, em Embu das Artes.

A Pirajuçara, concessionária da linha, informou à EMTU que abriu os vidros de emergência e o acionou imediatamente o Corpo de Bombeiros. Não houve feridos.

Ainda segundo a nota, a vistoria do veículo está em dia, válida até 31 de maio de 2023.

A EMTU explicou que acompanha o caso junto à concessionária “para apurar as circunstâncias da ocorrência”.

No dia 01º de julho o Diário do Transporte noticiou que as empresas que operam ônibus de linhas intermunicipais gerenciadas pela EMTU foram beneficiadas em decreto do governador Rodrigo Garcia com a liberação de R$ 43,1 milhões.

O decreto, publicado na última quinta-feira, 30 de junho, autoriza “abertura de crédito suplementar ao Orçamento Fiscal na Secretaria dos Transportes Metropolitanos, visando ao atendimento de Despesas Correntes”.

O valor de R$ 43,1 milhões é um repasse pelos serviços prestados.

Diversas empresas que operam o sistema chegaram em maio sem autorização a cortar horários, não realizar viagem e a tirar ônibus das ruas, alegando aumentos de custos.

Relembre: EMTU continua recebendo reclamações de redução de frota nesta quinta (19) e reafirma que empresas não foram autorizadas a retirar ônibus das ruas

As empresas estão operando com contratos prorrogados. A licitação de linhas que circulam em 32 das 39 cidades da Grande São Paulo não sai do papel desde 2016, após processos judiciais e problemas apontados pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado) nas tentativas de concorrências.

Relembre: EMTU prorroga sem licitação até julho de 2022 contratos com consórcios de ônibus da Grande São Paulo

Já nas sete cidades do ABC Paulista, as operações são regidas por um contrato de R$ 22,46 bilhões, mas também obtido sem licitação.

O então governador de São Paulo João Doria desistiu de um monotrilho entre o ABC e a capital paulista e optou por um corredor de ônibus (BRT).

Em 2021, por meio de dois decretos, Doria prorrogou um contrato de 1997 da empresa Metra pelo Corredor ABD até 2046 em troca da construção desse BRT .  O grupo empresarial, já como NEXT Mobilidade, neste mesmo contrato, ganhou o direito de explorar todas as mais de 100 linhas da EMTU no ABC que eram prestadas por outras empresas que foram retiradas de circulação.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Maurício limeira do Nascimento Filho disse:

    Empresa lixo, linhas sempre lotadas! Tiveram sorte as pessoas!

  2. Luiz Alberto da Silva Barcelos disse:

    Discordo .. é uma empresa super responsável com seus clientes .

Deixe uma resposta