Após seis horas com falhas, linha 9-Esmeralda entra em normalização na noite desta quarta (29)

Foram duas ocorrências que praticamente se emendaram e causaram transtornos, até mesmo com passageiros andando nos trilhos

ADAMO BAZANI

Esta quarta-feira, 29 de junho de 2022, foi difícil para quem dependeu de transporte público em São Paulo.

Além da greve de ônibus que paralisou 6 mil dos mais de 13 mil coletivos, a linha 9-Esmeralda apresentou dois problemas consecutivos que somaram mais de seis horas de falhas, inclusive com passageiros caminhando nos trilhos.

De acordo com a ViaMobilidade, responsável pelo serviço, por volta das 21h os trens começaram a entrar em normalização.

Entre 14h48 e 16h, a Linha 9-Esmeralda operou parcialmente entre as estações Osasco e Jurubatuba, devido à falha em um trem na região de Grajaú.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/06/29/video-linha-9-esmeralda-tem-problemas-na-tarde-desta-quarta-29-passageiros-andam-nos-trilhos/

Logo em seguida, devido a uma falha em equipamento de rede aérea, as operações passaram a ocorrer com maiores intervalos e circulando por via única na estação Autódromo.

Passageiros reclamaram de superlotação em redes sociais.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/06/29/linha-9-esmeralda-tem-mais-um-problema-nesta-quarta-29-dia-de-greve-de-onibus/

O Ministério Público de São Paulo investiga a ViaMobilidade e o contrato de concessão da STM (Secretaria dos Transportes Metropolitanos) pela má qualidade dos serviços das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda.

A secretaria multou a concessionária em R$ 7,9 milhões e, para minimizar os constantes problemas, foi firmado um convênio de R$ 5 milhões por cinco anos com a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) pelo qual a estatal cederia materiais e mão de obra para apoio técnico.

A cessão das plataformas 3 e 4 da estação Barra Funda para a linha 8 já ocorre, mas ainda não teve o valor definido pelo Governo do Estado.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta