CPTM informa a Conselho de Patrimônio Histórico transferência de Gestão da Estação Júlio Prestes para a ViaMobilidade

Com isso, conforme contrato, concessionária passa a ser responsável pela manutenção e conservação dos bens tombados no local

ADAMO BAZANI

A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) comunicou ao CONDEPHAAT a transferência da gestão da estação Júlio Prestes, na região central de São Paulo, à concessionária ViaMobilidade.

Essa transferência é prevista em contrato de concessão e, com ela, a concessionária passa a ser responsável pela manutenção e conservação dos bens tombados no local.

O comunicado foi publicado em Diário Oficial desta terça-feira, 28 de junho de 2022, e é um ato formal e legal para que qualquer alteração no local tenha anuência ou não do conselho.

O CONDEPHAAT é o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado.

Toda e qualquer mudança, obra de melhoria e adequação quanto à acessibilidade ou aumento de fluxo, por exemplo, passam por uma análise do conselho.

Foi na estação Júlio Prestes quem em 10 de março de 2022, um trem da ViaMobilidade bateu no final de uma das plataformas. Ninguém se feriu com gravidade e não houve danos estruturais.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/03/10/trem-bate-em-final-de-linha-8-viamobilidade-na-estacao-julio-prestes/

A estação Júlio Prestes é tombada pelo Patrimônio Histórico desde 1999, quando passou a integrar o Complexo Cultural Júlio Prestes.

Para fazer qualquer obra mais profunda, a concessionária deve comunicar ao CONDEPHAAT.

O órgão de patrimônio histórico faz um resumo das características da edificação que abriga a Sala São Paulo, as sedes da Orquestra Sinfônica do Estado e da Secretaria de Estado da Cultura.

O edifício da antiga Estação Júlio Prestes, projetado pelo arquiteto Christiano Stockler das Neves, foi construído pela Estrada de Ferro Sorocabana entre 1925 e 1938. De grandes proporções, possui alguns ambientes com vitrais de autoria de Conrado Sorgenicht, escadarias revestidas de mármore e peitoris executados em ferro fundido. Nas áreas de circulação o piso é de mosaico e, nos demais ambientes, de madeira. Atualmente abriga a Sala São Paulo, as sedes da Orquestra Sinfônica do Estado e da Secretaria de Estado da Cultura. Permanece em atividade a plataforma de embarque e desembarque de passageiros da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM. A reforma, que se iniciou em 1997, introduziu um estacionamento de veículos em três níveis e a sala de concertos, cuja acústica é considerada uma das melhores do mundo. O complexo Cultural Júlio Prestes foi inaugurado em 9 de Julho de 1999.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta