ENTREVISTA: Ônibus da UPBus bloqueados a pedido do Denarc vão continuar operando para não prejudicar população e contrato ainda será mantido, diz delegado

Delegado Fernando Santiago fala da ligação da empresa de ônibus com facção criminosa

Veículos não podem ser vendidos ou alienados; contas das empresas não foram bloqueadas para não inviabilizar custeio de funcionamento; policiais dizem encontrar mais elementos que ligam direção da companhia com “chefes” de facção criminosa

ADAMO BAZANI/WILLIAN MOREIRA

OUÇA:

Os cerca de R$ 250 ônibus da UPBus bloqueados judicialmente a pedido do Denarc, departamento da Polícia Civil de combate ao tráfico de drogas, vão continuar operando nas linhas da zona leste da capital paulista para não prejudicar a população, mas os veículos não podem ser alienados, vendidos ou transferidos.

A informação é do delegado Fernando Santiago em resposta ao Diário do Transporte que participou na tarde desta quinta-feira, 16 de junho de 2022, da entrevista coletiva na sede do Denarc para a apresentação da segunda fase da Operação Ataraxia, que investiga um suposto esquema de lavagem de dinheiro de uma facção criminosa pela empresa de ônibus e por reiterados ganhos em sorteios da Loteria Federal. Uma mesma pessoa, a esposa de um contador, ganhou 49 vezes.

“Houve uma cautela muito grande em não interromper as atividades da empresa, uma vez que o maior prejudicado nisso tudo seria o cidadão usuário do transporte coletivo de São Paulo, então, houve este bloqueio de bens para evitar a alienação, mas, por exemplo, não houve bloqueio de contas da empresa porque isso poderia determinar que a empresa fechasse as portas, deixasse de operar, porque ela não teria condições financeiras de arcar com os custos da operação alusiva ao transporte urbano. Isso não aconteceu propositadamente para evitar a interrupção do serviço de ônibus na cidade de São Paulo” – disse.

Fernando Santiago disse que ainda a polícia não vê a necessidade de pedir rompimento de contrato da empresa de ônibus, uma vez que não existem indícios de irregularidades na licitação.

“Nós não vislumbramos na empresa [de ônibus] nenhum tipo de irregularidade no que tange à licitação. Eles venceram a licitação ao que tudo indica de forma legal. Acontece que seus acionistas são ligados ao crime organizado. Isso não quer dizer que a licitação tenha ocorrido com algum tipo de irregularidade” – disse.

O delegado ainda informou da coletiva que as investigações apontam que estão entre os diretores da UPBus seis pessoas apontadas como integrantes da cúpula da facção criminosa que atua dentro e fora de presídios em São Paulo.

Além disso, outros 18 nomes são ligados direta ou indiretamente à facção, sendo pessoas de confiança das mais altas posições do crime organizado.

Como já tinha mostrado o Diário do Transporte, no início da tarde, o Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico informou que sequestrou com autorização judicial, nesta quarta-feira, 15 de junho de 2022, entre R$ 40 milhões e R$ 45 milhões em imóveis e veículos da empresa de transportes urbanos UPBUS, que opera na zona Leste de São Paulo, e de investigados da “Operação Ataraxia”, que apura o uso da companhia de ônibus por uma facção criminosa para lavagem de dinheiro.

Todos os veículos da empresa UPBUS, dentre eles quase 250 ônibus também foram objetos de sequestro, impedindo eventual a alienação dos veículos por parte da empresa.  Estes ônibus poderão continuar operando, só que os ônibus não podem ser vendidos e a arrecadação da operação vai para conta judicial.

Dentre os investigados que tiveram bens bloqueados está Anselmo Santa Fausta, vulgo “Cara Preta”, assassinado em 2021, e Silvio Luiz Ferreira, vulgo “Cebola”.

Segundo o Denarc, outro investigado que teve imóveis bloqueados é um contador de Anselmo Santa Fausta e operador de “um complexo esquema de lavagem de dinheiro que usa prêmios da Loteria Federal”.

Neste contexto, ainda segundo a Polícia, o contador e Anselmo teriam vencido o mesmo prêmio de Loteria Federal, ocasião onde o contador recebeu 2/5 do prêmio (R$ 16 milhões) e Anselmo 3/5 do prêmio (R$ 24 milhões). Este mesmo contador, no passado, também foi responsável por “abrir” uma empresa em nome de Eduardo Camargo de Oliveira, identidade falsa de Anselmo.

Estas medidas fazem parte da segunda etapa da “Operação Ataraxia”, promovida pelo DENARC através da 4a DISE/DENARC.

SPTRANS:

Diário do Transporte pediu à SPTrans informações sobre se há impactos na operação e se o órgão foi comunicado pela Polícia. A gerenciadora informou que as operações são normais.

A SPTrans informa que a operação das linhas sob responsabilidade da UPBUS Qualidade Em Transportes S.A. está ocorrendo normalmente nesta quinta-feira, 16 de junho. A empresa transporta, em média, 67 mil passageiros por dia útil e sua frota operacional é composta por 138 ônibus e atende 13 linhas.
Como é de conhecimento público, a Controladoria Geral do Município (CGM) já abriu sindicância para apurações internas com objetivo de assegurar a continuidade da prestação de serviços e evitar qualquer tipo de prejuízo para os usuários do sistema. A decisão foi tomada pela CGM após liderar reunião de representantes da gestão municipal com a Polícia Civil para compartilhamento das informações apuradas nas investigações sobre a utilização de empresa de transporte público para lavar dinheiro para organização criminosa.

UPBUS:

Em 02 de junho de 2022, a Polícia Civil apreendeu armas, munições, computadores e documentos na UPBus, operadora da zona Leste de São Paulo.

O Denarc (Departamento de Narcóticos) da Polícia Civil de São Paulo está convencido que uma empresa de ônibus com origem em cooperativa de transportes do sistema urbano da capital paulista fazia lavagem de dinheiro do tráfico de drogas e tinha membros ligados a uma facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/06/02/ouca-policia-civil-apura-que-upbus-fazia-lavagem-de-dinheiro-do-trafico-de-drogas-e-apreende-armamento-com-pessoas-ligadas-a-empresa-de-onibus/

Adamo Bazani e Willian Moreira , jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta