Após operações policiais, pedido de CPI dos ônibus de São Paulo é protocolado na Câmara Municipal

Um dos ônibus apreendidos para investigação; veículos foram devolvidos à operação, mas receitas ficam retidas em conta judicial

Polícia investiga suposta ligação de empresas que surgiram de cooperativas de transportes com o crime organizado e facções criminosas

ADAMO BAZANI

A Câmara Municipal de São Paulo teve protocolado nesta sexta-feira, 10 de junho de 2022, um pedido de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para “investigar todas as empresas que prestam serviço de transporte coletivo no município de São Paulo”.

O requerimento é do vereador Mario Palumbo Junior, o delegado Palumbo, do MDB, e ocorre depois de duas operações policiais que investigam supostas ligações entre empresas de ônibus que surgiram de cooperativas com assassinatos, tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e com membros de facções criminosas na direção destas companhias.

Como mostrou o Diário do Transporte, no dia 09 de junho foi realizada uma operação na empresa TransUnião, inclusive com investigações sobre o vereador Senival Moura, do PT, que nega envolvimento em crimes.

Em entrevista ao Diário do Transporte, o delegado-geral de polícia, Oswaldo Nico Gonçalves, disse que outras três empresas estão sendo investigadas por possível participação no mesmo esquema no qual estaria envolvida a TransUnião.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/06/09/entrevistas-mais-tres-empresas-que-surgiram-de-cooperativas-sao-investigadas-no-mesmo-esquema-da-transuniao-diz-delegado/

A reportagem mostrou ainda que são investigadas outras empresas com origem em cooperativa, como a UPBus, onde ocorreu uma operação na semana passada.

Em 02 de junho de 2022, a Polícia Civil apreendeu armas, munições, computadores e documentos na UPBus, operadora da zona Leste de São Paulo.

O Denarc (Departamento de Narcóticos) da Polícia Civil de São Paulo está convencido de que a empresa de ônibus com origem em cooperativa de transportes do sistema urbano da capital paulista fazia lavagem de dinheiro do tráfico de drogas e tinha membros ligados a uma facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/06/02/ouca-policia-civil-apura-que-upbus-fazia-lavagem-de-dinheiro-do-trafico-de-drogas-e-apreende-armamento-com-pessoas-ligadas-a-empresa-de-onibus/

O pedido de Palumbo traz as sugestões das seguintes ações para a CPI:

(1) identificar eventuais irregularidades;

(2) apurar as medições e pagamento;

(3) avaliar a qualidade dos serviços prestados;

(4) identificar eventuais pessoas físicas e/ou jurídicas que estejam envolvidas diretamente ou indiretamente com estas empresas, que possam ser frutos de ilícitos contra a administração pública;

(5) identificar o quadro societário das empresas e verificar se há conflito de interesses com a administração pública;

(6) verificar o programa de compliance das empresas e os documentos da operação, seguro, CNDS em todas as esferas e por fim

(7) verificar quais são os mecanismos que estas empresas se utilizam para combater a corrupção e a fraude

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários