CEO da Viação Itapemirim com atuação na TransBrasil se desliga da empresa

De forma oficial, Grupo diz que foi por motivos particulares; Justiça determinou nova gestão na companhia

ADAMO BAZANI

Não durou nem dois meses a permanência de Jaime Garcês M. Filho como CEO dos negócios rodoviários do Grupo Itapemirim (Viação Itapemirim e Viação Kaissara).

Por meio da assessoria de imprensa, o grupo que está em recuperação judicial desde março de 2016, comunicou que nesta quarta-feira, 1º de junho de 2022, Jaime Garcês anunciou o desligamento do cargo.

De forma oficial, em nota, o Grupo diz que a decisão ocorreu por “motivos particulares”

O Grupo Itapemirim comunica, que por motivos particulares de cunho familiar, o CEO da Viação Itapemirim, Sr. Jaime Garcês, desligou-se da empresa neste dia 1° de Junho.

De Goiânia, Garces tem cerca de 30 anos de experiência no transporte rodoviário, com atuação na careira, por exemplo, como CEO da TCB (Transporte Coletivo Brasil) – Transbrasil, que também faz transportes interestaduais. O executivo tinha assumido o cargo, ainda na gestão de Sidnei Piva de Jesus, em 20 de abril de 2022.

O Diário do Transporte noticiou que juiz João de Oliveira Rodrigues Filho, da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais do Tribunal de Justiça de São Paulo, validou nesta sexta-feira, 27 de maio de 2022, a decisão da Assembleia Geral de Credores do dia 18, que afastou da gestão do Grupo Itapemirim o empresário Sidnei Piva de Jesus, suspeito de irregularidades e crimes falimentares. Piva nega as suspeitas. No mesmo dia, os credores ainda decidiram que a Transconsult Consultoria em Transporte Rodoviário de Passageiros Ltda, de Eduardo Abrahão, assumiria a gestão. Piva continua como dono da Itapemirim

Pela decisão judicial, a nova gestão deve assumir imediatamente o controle do Grupo Itapemirim e, em até 30 dias, apresentar um plano de quitação das dívidas já vencidas.

Sobre as dívidas que ainda não venceram o prazo, a gestão deve apresentar também um novo plano de pagamento.

Para que o novo gestor “coloque ordem na casa” e estar a par da real situação, o juiz ainda suspendeu por 60 dias o atual Plano de Recuperação Judicial.

Assim, neste prazo, novos pagamentos de débitos e leilões, por exemplo, ficam suspensos.

O magistrado ainda determinou a manutenção do cão de guarda “watchdog” que já atua nas empresas para acompanhar as contas “para que a alteração da gestão seja feita de maneira pacífica, resguardando, da mesma forma, o interesse de todos os envolvidos”.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/05/27/itapemirim-justica-determina-que-transconsult-assuma-gestao-e-ricco-transportes-quer-adquirir-as-linhas-da-caicara-kaissara/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Claudionor Guedes furtado disse:

    Já estva na hora de da uma resposta

Deixe uma resposta