Itapemirim: Justiça determina que Transconsult assuma gestão e Ricco Transportes quer adquirir as linhas da Caiçara (Kaissara)

Magistrado ainda suspendeu o atual plano de recuperação judicial por 60 dias

ADAMO BAZANI

Colaborou Alexandre Pelegi

O juiz João de Oliveira Rodrigues Filho, da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais do Tribunal de Justiça de São Paulo, validou nesta sexta-feira, 27 de maio de 2022, a decisão da Assembleia Geral de Credores do dia 18, que afastou da gestão do Grupo Itapemirim o empresário Sidnei Piva de Jesus, suspeito de irregularidades e crimes falimentares. Piva nega as suspeitas. No mesmo dia, os credores ainda decidiram que a Transconsult Consultoria em Transporte Rodoviário de Passageiros Ltda, de Eduardo Abrahão, assumiria a gestão. Piva continua como dono da Itapemirim

Pela decisão judicial, a nova gestão deve assumir imediatamente o controle do Grupo Itapemirim e, em até 30 dias, apresentar um plano de quitação das dívidas já vencidas.

Sobre as dívidas que ainda não venceram o prazo, a gestão deve apresentar também um novo plano de pagamento.

Para que o novo gestor “coloque ordem na casa” e estar a par da real situação, o juiz ainda suspendeu por 60 dias o atual Plano de Recuperação Judicial.

Assim, neste prazo, novos pagamentos de débitos e leilões, por exemplo, ficam suspensos.

O magistrado ainda determinou a manutenção do cão de guarda “watchdog” que já atua nas empresas para acompanhar as contas “para que a alteração da gestão seja feita de maneira pacífica, resguardando, da mesma forma, o interesse de todos os envolvidos”.

A decisão é cheia de pedidos ao juiz.

Um dos que o Diário do Transporte destaca é a intenção da empresa Ricco Transportes Rodoviário E Turismo Eirelli (“GVM TUR”) em adquirir as linhas da Viação Caiçara (Kaissara) que pertence ao Grupo Itapemirim.

Atualmente, a Caiçara (Kaissara), que detém boa parte das melhores linhas do Grupo, é a única de fato autorizada a operar pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), já que as 95 linhas da Viação Itapemirim foram suspensas pela agência do Governo Federal, por falta de frota compatível.

A Ricco só quer as linhas da Caiçara (Kaissara), dispensando as da Itapemirim.

Sobre o pedido, o juiz intimou para que se manifestem as recuperandas (Grupo Itapemirim, a administradora judicial e Ministério Público.

Trata-se de petição de Ricco Transportes Rodoviário E Turismo Eirelli (“GVM TUR”) a fim de declarar ciência dos trâmites, requisitos e condicionantes constantes das Cláusulas 5.3, 5.4 e 5.5 do Plano de Recuperação Judicial aprovado (fls. 44.520/44.521), e demonstrar sua seriedade e firme intenção em adquirir as linhas única e exclusivamente da Viação Caiçara. Informou que a GVM TUR ou o consórcio operacional do que ela faça parte apresentará proposta para a aquisição em certame da totalidade das linhas constes da Viação Caiçara, que deverá seguir os termos da lei. Neste sentido, em atenção aos arts. 60, 139 e seguintes da LRF, bem como diante da precária situação financeira do Grupo Itapemirim, requereu diariodotransporte a determinação para a realização do leilão público para alienação das linhas da Viação Caiçara, e caso não seja determinada a realização do leilão imediatamente, requereu a intimação da Administradora Judicial e/ou a designação de Assembleia Geral de Credores para discussão e decisão sobre o tema. Intimem-se, sucessivamente, as Recuperandas, Administradora Judicial e Ministério Público, para manifestação acerca do tema. Após, tornem-se os autos conclusos para eventuais deliberações

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Colaborou Alexandre Pelegi

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Alexis Dal Ponte disse:

    Kit Apocalíptico do Transporte Rodoviário:
    1 Transconsult que cuidou de empresas que faliram, ou que foi pra recuperação judicial ou está indo pro buraco
    2 CEO da ExTransbrasil
    3 Ricco que deve ser dos mesmo donos da lendária Transacreana

  2. Wilson disse:

    A justiça está perguntando a todos, exceto para a ANTT que é quem regula o setor?
    As linhas não são da Kaissara, são concessões públicas e foram autorizadas para aquela empresa.
    E, como a Itapemirim e outra nesta semana não tiveram condições técnicas, operacionais ou fiscais e tiveram suas linhas suspensas e depois cassadas, também pode acontecer com essa e as linhas serem disponibilizadas a outras empresas legalmente capacitadas e dentro das normas legais.

  3. Fernando disse:

    Fala sério!!!! Vem errado a tempos, agora a RICCO, que ninguém viu, ninguém sabe de onde veio, aparece do nada quer linhas importantes e desse porte???? Se fizermos uma pesquisa, nem carros tem!!!!

  4. Santos Dumont disse:

    É como o Wilson acima comentou: as linhas não pertencem à Kaissara. Mas é possível levá-las todas de uma vez sem licitação pelo órgão. Basta a ofertante assumir o controle da autorizataria , ou em outras palavras, ‘comprar a empresa, o cnpj’ com todas suas receitas e dívidas, claro.
    Quanto a V.Itapemirim, ninguém quer ficar com esse mico. Já calculei e eh inviável econômica e operacionalmente nesse estado de coisas!

  5. Santos Dumont disse:

    É como o Wilson acima comentou: as linhas não pertencem à Kaissara. Mas é possível levá-las todas de uma vez sem licitação pelo órgão. Basta a ofertante assumir o controle da autorizataria , ou em outras palavras, ‘comprar a empresa, o cnpj’ com todas suas receitas e dívidas, claro.
    Quanto a V.Itapemirim, ninguém quer ficar com esse mico. Já calculei e eh inviável econômica e operacionalmente nesse estado de coisas!

Deixe uma resposta