Novo Hamburgo (RS) adia licitação do transporte coletivo

Quatro empresas atuam no serviço de transporte municipal: Hamburguesa (foto), Futura, Viação Feitoria e Courocap. Foto: Jardel Moraes/Ônibus Brasil

Retificação do edital alterou por 30 dias data do certame que seria realizado nessa quinta (12)

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, adiou a licitação do transporte coletivo do município.

A sessão de abertura das propostas comerciais estava marcada para essa quinta-feira, 12 de maio de 2022, e foi adiada para 13 de junho por causa da retificação do edital.

O edital havia sido lançado no dia 05 de abril, dia em que a cidade comemorou 95 anos de emancipação.

A retificação do edital saiu publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 13 de maio. Já o adiamento da sessão pública foi publicado na véspera.

HISTÓRICO

A licitação do transporte municipal precisou ser suspensa no início de 2020 em razão da pandemia do novo coronavírus.

Antes disso, em outubro de 2019, a Prefeitura havia cancelado a licitação anterior. Duas empresas de ônibus (Stadtbus Transportes Ltda e Viação Santo Ângelo S/A) haviam demonstrado interesse na concorrência, mas uma das empresas que prestam o serviço na cidade, e que não participou da licitação, impugnou o processo no Judiciário.

Atualmente quatro empresas atuam no serviço de transporte de passageiros por ônibus: Viação Hamburguesa, Viação Futura, Viação Feitoria e Empresa de Transporte Coletivo Courocap.

A prefeitura decidiu lançar o edital após revisão da Procuradoria-Geral do Município, que constatou que o novo documento inclui as observações feitas pelo Tribunal de Contas do Estado.

O novo edital mantém itens como passagem integrada e três linhas troncais, alimentadas por linhas circulares.

Na audiência pública realizada em abril de 2021 a prefeitura apresentou um modelo de edital estabelecendo R$ 5,03 como tarifa máxima. O documento também previa 20 veículos com ar-condicionado em uma frota de 66 ônibus.

 


 

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    Estatiza tudo e não licita nunca mais,oras.Simples assim.Só assim acaba a mehrdhy@.

Deixe uma resposta