Diário no Sul

Passageiros de Chapecó (SC) poderão recarregar cartão de transporte pela internet

De acordo com a empresa, o sistema deve entrar em operação a partir de julho. Foto: Divulgação.

Meios de pagamento disponíveis são Pix, cartão de crédito e boleto

JESSICA MARQUES

Os passageiros de Chapecó (SC) vão poder recarregar o cartão utilizado nos ônibus municipais pela internet. Os meios de pagamento disponíveis são Pix, cartão de crédito e boleto.

O novo sistema de bilhetagem eletrônica foi detalhado pela Auto Viação Chapecó nesta semana.

Segundo a empresa, o sistema anterior, lançado em 2001, permitia a recarga do cartão apenas em postos de atendimento presencial ou por meio de aplicativos em parceria com universidades.

Agora, o passageiro vai poder recarregar online. A disponibilização dos créditos será instantânea via Pix, no mesmo dia quando pagos com cartão de crédito e em até 48 horas via boleto. Também haverá a opção de usar o saldo de passagens nos ônibus por meio de QRCode.

De acordo com a empresa, o sistema deve entrar em operação a partir de julho. A implantação está sendo realizada desde o ano passado. Em março deste ano, o treinamento foi iniciado.

O desenvolvimento do sistema é realizado pela empresa Prodata. O contrato de concessão do transporte coletivo foi assinado em junho de 2019 entre a Auto Viação Chapecó e a administração municipal.

A concessão entrou em vigor em dezembro do mesmo ano, com valor de outorga de R$ 5,7 milhões. Segundo a empresa, o contrato é válido por 20 anos.

PONTUALIDADE

Na ocasião, a Auto Viação Chapecó também apresentou o índice de pontualidade. Segundo a empresa, em janeiro 93% das viagens foram realizadas pontualmente.

Já em fevereiro, foram 96% e em março 99,4%. Com isso, a média de pontualidade das viagens no primeiro trimestre foi de 96,13%.

A viação aponta como principais causas de atrasos “grande volume de tráfego nas vias urbanas, com seguidos congestionamentos nos horários de pico; ocupação indevida de espaços de estacionamento próximos a pontos de embarque e desembarque; acidentes de trânsito; fechamento de ruas para conserto; vias estreitas em determinados locais e carros estacionados dos dois lados; e maior volume de embarques e desembarques”.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta