Metrô de São Paulo arrecada R$ 1 milhão com leilão de sucatas e materiais inservíveis

Outros pregões devem ser realizados neste ano; dinheiro vai para operação e manutenção

ADAMO BAZANI

O Metrô de São Paulo informou nesta terça-feira, 26 de abril de 2022, que arrecadou cerca de R$ 1 milhão no primeiro leilão de sucatas e materiais inservíveis deste ano.

Outros pregões devem ser realizados ainda neste ano.

De acordo com a companhia, este valor, classificado como receita não tarifária, já que não é proveniente da arrecadação com a venda de passagens, vais ser usado integralmente no aperfeiçoamento dos processos de manutenção de sistemas, trens, estações e equipamentos.

O leilão ocorreu de forma on-line e foram oferecidos 42 lotes com itens como trilhos, discos de freios, eixos de trem, motores elétricos, diesel, gasolina e móveis das áreas administrativas.

Por meio de nota, o metrô informou que este tipo de leilão sempre despertou interesse já que muitos dos materiais que vão ao pregão são difíceis de serem encontrados no mercado à pronta entrega.

“Com a venda, os materiais poderão ser reutilizados, colaborando com o meio ambiente e gerando receita extra à Companhia. Os inservíveis do Metrô sempre despertam interesse do setor, uma vez que são compatíveis com outros sistemas de trens e várias das peças que serão negociadas já não são encontradas com facilidade no mercado. Para participarem dos leilões, as empresas interessadas são credenciadas após serem analisadas em rigoroso processo técnico. O objetivo deste procedimento é de somente habilitar possíveis compradores que tenham condições de reciclar ou destinar o que for adquirido sem colocar em risco o meio ambiente, um dos valores defendidos pelo Metrô.”

O comércio e indústria de sucatas também se interessam por materiais como peças como ferro, cobre, aço, alumínio, plástico e papel, entre outros.

O Metrô ainda informou que em 2021, realizou três leilões iguais a este e foram vendidas 384 toneladas de trilhos de ferro, 303 toneladas de aço carbono, 23 toneladas de eixos de trens (material ferroso), 8 toneladas de alumínio, 18 toneladas de bilhetes de papel fragmentados, 24 veículos e outros inservíveis em volume menores, o que gerou uma arrecadação de R$ 5.379.223,00. A previsão é que o próximo leilão de materiais inservíveis do Metrô ocorra no mês de julho.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta