Trem da linha 9-Esmeralda é pichado e fica indisponível até limpeza

Ocorrência foi na manhã desta terça-feira (19); não houve impactos na linha

ADAMO BAZANI/WILLIAN MOREIRA

Um trem da linha 9-Esmeralda foi pichado na manhã desta terça-feira, 19 de abril de 2022.

O vandalismo foi em um dos carros (chamados popularmente de vagões).

No início da tarde, o trem foi deslocado para estação Júlio Prestes para a remoção da tinta.

Não houve impactos na operação geral da linha, mas ações como esta sempre acabam prejudicando os passageiros, já que a composição teve de ficar indisponível para a operação até a conclusão da limpeza.

Os autores não foram identificados.

A composição passou por perícia

A pichação é considerada como crime ambiental, de acordo com o artigo 65 da Lei 9.605/98 (Lei dos Crimes Ambientais). A pena pode chegar de 03 meses a 01 ano de detenção, e multa nos casos de patrimônios e serviços públicos.

Grafite não se enquadra nesta tipificação, mas deve haver consentimento seja do poder público ou proprietário de um bem particular.

Em nota, a ViaMobilidade informou que a ação de vandalismo ocorreu na estação João Dias.

 A ViaMobilidade informa que um trem da linha 9-Esmeralda foi vandalizado na estação João Dias. O trem foi retirado de operação e aguarda perícia, e após análise, passará por serviço de remoção da tinta aplicada. A pichação é considerada crime, de acordo com o artigo 65 da Lei 12.408/2011 e é passível de detenção de 3 meses a 1 ano e multa. A concessionária afirma ainda que ações de vandalismo retiram trens de circulação e prejudicam muito a mobilidade de passageiros.

(Vídeos Diário do Transporte)

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. vagligeiro disse:

    Quem pixa é tão corrupto quanto um certo presidente (e aqueles que o apoiam). Que nem aquele famoso vídeo do pixador que não quer falar com a dona da casa, e chegando na casa dele ele fala que não pixa a própria casa.

    Em tempos: a Via Mobilidade está fazendo uso da Julio Prestes para certas atividades nos trens, como aplicação de veneno.

Deixe uma resposta