Greve de ônibus no Rio de Janeiro é decretada para esta terça (29)

MPT pediu para que categoria aguarde até a próxima segunda-feira para ver se negociações avançam

ADAMO BAZANI

Os motoristas e demais funcionários do sistema de ônibus municipais do Rio de Janeiro decidiram em assembleia na noite desta segunda (28) decretar greve para esta terça-feira, 29 de março de 2022.

O estado de greve foi decretado na última quinta-feira, 24 de março de 2022.

Os rodoviários dizem que estão sem reajuste salarial há três anos e ainda alegam que os valores dos benefícios precisam ser atualizados.

As viações, por sua vez, informam que há três anos estão sem reajuste tarifário, não há subsídios para o sistema e que a prefeitura não faz o combate ao transporte clandestino que impacto no equilíbrio econômico dos serviços.

De acordo com o Sindicato dos Rodoviários, em mais uma tentativa de conciliação no TRT (Tribunal Regional do Trabalho) nesta segunda-feira (28), as empresas de ônibus não ofereceram proposta e ainda pediram a suspensão do estado de greve por 70 dias.

O MPT (Ministério Público do Trabalho) entendeu que este prazo de 70 dias é longo demais, mas pediu aos rodoviários para aguardarem até a próxima segunda-feira, 04 de abril de 2022, para ver se as negociações avançam.

Mas na assembleia, a categoria decidiu decretar a greve.

Em nota, o Rio Ônibus, sindicato que reúne as empresas, diz repudiar o movimento e que eventuais aumentos, neste momento, não depende apenas das companhias de transporte

O Rio Ônibus repudia o movimento grevista, que prejudicará toda a sociedade carioca. A ação, que tentou ser impedida pelo Rio Ônibus por liminar judicial, não resolve o problema da classe, e agrava a atual crise de mobilidade na cidade do Rio. Mesmo em meio às dificuldades financeiras já conhecidas pela população, as empresas têm priorizado o pagamento dos rodoviários e a manutenção de seus empregos. O reajuste de salários depende de ações externas, já que três dos quatro consórcios se encontram em Recuperação Judicial. O Rio Ônibus pede que os profissionais não façam adesão à paralisação e retomem seus postos de trabalho, atendendo a população, até que haja resultados dos diálogos mantidos com a Prefeitura, na busca por soluções para o setor.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Bruno disse:

    Bom dia
    Pq não dão alimento aos motorista e alimenta a passagem no mês seguinte ok. E acabar logo este problema da greve ok aí todos ficam felizes.

  2. Daniela disse:

    Já acabou essa palhaçada? Tem ônibus ou não? Irresponsáveis.

Deixe uma resposta