Diário no Sul

Governo estadual apresenta projeto de integração do transporte urbano na Grande Porto Alegre

Proposta ainda não traz dados concretos sobre impacto na tarifa. Foto: Max Ramos / Ônibus Brasil.

Objetivo principal é reduzir os custos operacionais do serviço e do valor da passagem

WILLIAN MOREIRA

O Governo do Estado do Rio Grande do Sul apresentou nesta quarta-feira, 23 de fevereiro de 2022, um projeto para promover a integração do transporte coletivo urbano nas cidades que compõem a Região Metropolitana de Porto Alegre.

Conforme foi exibido aos prefeitos destes municípios, a intenção é diminuir os custos para a operação do serviço e, por consequência, a tarifa, além de melhorar a integração entre as localidades.

O projeto-piloto prevê que o método de integração entre ônibus metropolitanos e urbanos será modificada, seja em trajetos ou em método de atendimento.

Atualmente, os coletivos metropolitanos não podem, ao chegar às cidades de destino, permitir o embarque de novos passageiros, justamente para não haver competição.

Desta forma, dependendo do trajeto necessário ao usuário, ele precisa utilizar dois ônibus diferentes e pagando duas tarifas.

Com a proposta, seriam feitas várias adaptações no atendimento e cobrança pelo uso do transporte, com tarifa pelo percurso realizado de forma proporcional.

Por exemplo, o usuário do Cartão TRI em Porto Alegre descontaria o valor da tarifa urbana ou metropolitana, conforme o ponto de entrada e saída do veículo.

De acordo com o secretário estadual da Gestão Administrativa e Política, Agostinho Meirelles, os ônibus passariam a contar com dois validadores, um para o TRI e outro para o Cartão TEU.

Porém, para o plano ser funcional, um remanejamento de itinerários, horários de partidas e pontos finais precisa acontecer, evitando assim a sobreposição de linhas com algumas aumentando o percurso e outras diminuindo o trajeto de atendimento.

Outro ponto observado se deve ao número de trabalhadores empregados em cada empresa, já que em alguns casos a redução no quadro de colaboradores poderá ser necessária.

A princípio, não se tem um dado concreto sobre os impactos na tarifa, já que mesmo sendo a intenção diminuir o valor, isso depende de acordos firmados com cada município.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Informe Publicitário
   
Assine
     
Comentários

Deixe uma resposta