Tatuzão está em nível inferior ao local de acidente e rompimento foi em galeria de esgoto, diz Paulo Galli sobre desmoronamento em obra da linha 6-Laranja

Uma das grandes das dificuldades será retirar todo o esgoto que invadiu área dos túneis

ADAMO BAZANI

O secretário dos Transportes Metropolitanos, Paulo Galli, disse em entrevista coletiva no início da tarde desta terça-feira, 1º de fevereiro de 2022, que uma galeria de esgoto se rompeu nas obras da linha 6-Laranja de Metrô, no Poço de Ventilação, nas proximidades da Ponte do Piqueri.

Parte da pista local da Marginal do Rio Tietê no sentido Ayrton Senna afundou, cansando a interdição. A pista expressa foi liberada antes das 13h

Ninguém se feriu. Dois trabalhadores foram levados para o hospital como precaução porque tiveram contato com a água contaminada.

Ainda de acordo com Galli, o chamado tatuzão, que abre os túneis, está há cerca de três metros abaixo do nível do local do acidente e chegaria ao ponto entre esta quarta-feira (02) e quinta-feira (03).

As obras são feitas pela Acciona.

Segundo Galli, uma das grandes das dificuldades será retirar todo o esgoto que invadiu área dos túneis.

A Defesa Civil analisa imóveis ao entorno, mas descarta risco às moradias.

O Governador João Doria esteve, no início da tarde desta terça-feira (1), no local do desmoronamento ao lado de um poço das obras do Linha 6-Laranja do Metrô, na zona oeste de São Paulo. Ele se reuniu com engenheiros da Acciona, que é a concessionária responsável pela construção da Linha 6.

Doria determinou rapidez para apuração das causas do acidente, que não deixou vítimas, e a elaboração de um plano emergencial de desobstrução do tráfego da Marginal Tietê no trecho afetado.

“Vim pessoalmente ao local para dar apoio aos funcionários da obra e moradores dos arredores que presenciaram o acidente. Felizmente, não houve feridos”, afirmou Doria ao chegar ao trecho afetado.

O Governador determinou que a concessionária Acciona identifique imediatamente as causas do acidente. Além disso, a empresa deve elaborar, em conjunto com a Prefeitura de São Paulo, uma solução para normalização do trânsito na Marginal. “É a prioridade número um”, afirmou Doria.

Além disso, Doria também confirmou que a Acciona será questionada sobre as possíveis soluções de engenharia para que as obras da Linha-6 possam ser retomadas no menor prazo possível.

Por meio de nota, a STM (Secretaria dos Transportes Metropolitanos) detalha o que foi apurado até agora.

A Secretaria de Transportes Metropolitanos e a Sabesp acompanham o incidente no Poço de Ventilação da Linha-6 Laranja do metrô e o rompimento de uma tubulação de esgoto ao lado das obras. Todas as medidas necessárias para contenção do problema e estabilização da pista da Marginal Tietê estão sendo tomadas.

Foi criado um comitê que investigará a causa do incidente e fará estudos com soluções técnicas para a realização de obras de drenagem, recuperação para a retomada das obras do Metrô, conserto da tubulação e da Marginal Tietê.

A tubulação, chamada Interceptor de Esgotos (ITI-7), é responsável por encaminhar o esgoto coletado para tratamento na ETE Barueri. Técnicos da Companhia trabalham no momento para desviar o esgoto para outros interceptores.

ÔNIBUS:

Por causa de um rompimento de galeria e adutora na obra da linha 6-laranja de metrô, feita pela Acciona, na manhã desta terça-feira (1º) há desvio em cinco linhas de ônibus que trafegam pela Av. Embaixador Macedo Soares (pista local da Marginal Tietê) com a Ponte do Piqueri, no sentido Ayrton Senna, Freguesia do Ó.

Parte da pista local da Marginal Tietê afundou

A SPTrans (São Paulo Transporte), gerenciadora dos ônibus na cidade, e a EMTU (intermunicipais) informam as linhas e os desvios.

Linhas afetadas:

MUNICIPAIS

9047/10 Jd. Paulistano – Lapa 

Normal até Avenida Embaixador Macedo Soares, Rua Professora Suraia Aidar Menon, Av. Ermano Marchetti, Praça Jácomo Zanella, Av. Ermano Marchetti, Praça Dr. Pedro Corazza, Av. Comendador Martinelli, Ponte Freguesia do Ó, prosseguindo normal.

8010/10 Perus-Lapa

Normal até Rua Félix Guilhem, Rua Tenente Landy, Av. Ermano Marchetti, Ponte do Piqueri, prosseguindo normal.

1896/10 Jaraguá – Pça. Ramos de Azevedo

8065/10 Vl. Clarice – Lapa

8100/10 Term. Pirituba – Term. Lapa

Normal até Avenida Embaixador Macedo Soares, Rua Werner Siemens, Rua Félix Guilhem, Rua Tenente Landy, Av. Ermano Marchetti, Ponte do Piqueri, prosseguindo normal.

INTERMUNICIPAIS

Os ônibus seguem pela R. Werner Siemens, R. Maria Ciufuti Zanfelice, Av. Ermano Marchetti, Av. Marquês de São Vicente, R. Norma Pieruccini Giannotti, R. Sérgio Tomás, retornando ao itinerário na Av. Pres. Castelo Branco. Alguns veículos fazem rotas alternativas se necessário.

Devido a desmoronamento na Marginal Tietê, sentido Rod. Ayrton Senna, as linhas 231, 231BI1, 399, 560, 116 e 818 estão operando com atrasos e desvios

Em nota, a Acciona diz que outros pontos da linha não serão prejudicados

“A Linha Uni e a ACCIONA, responsáveis pelas obras da Linha 6-Laranja de metrô, informam:

1- Com as informações disponíveis neste momento, o incidente ocorrido esta manhã na Marginal Tietê não está relacionado diretamente ao desenvolvimento das obras da Linha 6-Laranja. Trata-se de um rompimento de um interceptor de esgoto.

2- O incidente não ocasionou nenhuma vítima. Todos os profissionais que estavam no local foram retirados com segurança. A empresa está prestando todo o suporte necessário à equipe e à comunidade.

3- A Defesa Civil esteve no local e, até o momento, não houve recomendação de evacuação na vizinhança.

4- Os trabalhos de contenção para recuperação da pista local da Marginal Tietê já foram iniciados com toda a urgência necessária.

5- A equipe técnica segue reunida para definir as melhores soluções de engenharia para dar continuidade nas ações de mitigação dos danos e retomar as obras.

6- O incidente é pontual e não interfere nas demais frentes de trabalho do projeto, que seguem em execução.

Linha Uni e ACCIONA

Sobre a Linha Universidade ou Linha 6-Laranja
Com 15 km de extensão e 15 estações, a Linha 6-Laranja de metrô de São Paulo vai ligar o bairro da Brasilândia, na zona norte, à Estação São Joaquim, na região central da cidade, reduzindo a apenas 23 minutos um trajeto que hoje é feito de ônibus em cerca de uma hora e meia. A linha deverá transportar cerca de 630 mil passageiros por dia.
Maior obra de infraestrutura em execução atualmente na América Latina, o empreendimento é uma parceria público-privada (PPP) do Governo do Estado de São Paulo com a Concessionária Linha Universidade. As obras estão em execução pelo braço de construção do grupo ACCIONA, com geração de mais de 9.000 empregos. Depois de finalizada, a Linha 6 será operada pela Linha Uni por 19 anos.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Colaborou Willian Moreira

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Informe Publicitário
   
Assine
     
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta