Greve de ônibus em São Vicente acaba, mas MPT investiga abusividade

Paralisação ocorreu sem aviso e sem percentual mínimo pré-definido

ADAMO BAZANI

Os ônibus municipais da Otrantur em São Vicente, no litoral de São Paulo, voltaram a operar na manhã desta terça-feira, 11 de janeiro de 2022.

Nesta segunda-feira (10), como mostrou o Diário do Transporte, os motoristas e demais funcionários cruzaram os braços alegando atrasos nos pagamentos de salários e benefícios. Poucos ônibus foram colocados em circulação.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/01/10/greve-de-onibus-da-otrantur-afeta-transportes-em-sao-vicente-sp/

A Outrantur deve realizar os pagamentos ainda nesta terça-feira (11) e classificou a paralisação como irregular.

A empresa de ônibus alega que somente com a tarifa atual não é possível cobrir os custos operacionais e que necessita de subsídios da prefeitura. A companhia cita ainda eventuais prejuízos na ordem de R$ 7 milhões.

O MPT (Ministério Público do Trabalho) vai investigar possível ilegalidade e abusividade da greve.

Não houve o comunicado prévio de 72 horas à população, empresa e gestor público, e também não ocorreu a definição de um percentual mínimo de frota.

Uma audiência no próximo dia 13 de janeiro do MPT deve reunir as explicações do sindicato dos trabalhadores, que alega não ter sido responsável pela paralisação, prefeitura e empresa.

Por não ter havido as comunicações prévias, de acordo com a lei 7.783/1989, a prefeitura também classificou a paralisação como irregular.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Alex Sandro Teixeira disse:

    Eles querem mais subsídios, já não basta que o prefeito forneceu no ano passado?
    Só não entendo porque a prefeitura não interrompe esse contrato? A partir do momento em que o contrato não é cumprido, existe sim possibilidades de cancelamento. No início foi tudo mil maravilhas, carros com ar condicionado. Diziam que teria o expresso da madrugada. Pois escureceu o dia não se vê mais carros na rua. Até quando Sr. Prefeito São Vicente ficará as traças na questão de transporte?

Deixe uma resposta