Diário no Sul

Prefeito de Londrina (PR) sanciona projeto de lei que permite redução da tarifa de ônibus a R$ 4

Prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, sancionou o PL na noite desse sábado (08)

Novo valor passa a vigorar a partir desta terça-feira (11), com a prefeitura assumindo os custos das gratuidades no sistema de transporte municipal

ALEXANDRE PELEGI

O prefeito de Londrina (PR), Marcelo Belinati (PP), sancionou na noite desse sábado, 08 de janeiro de 2022, Projeto de Lei (PL) aprovado pelos vereadores que permite a redução da tarifa de transporte coletivo dos atuais R$ 4,25 para R$ 4,00.

A nova tarifa passa a valer a partir desta terça-feira (11).

“APROVADO! Passagem de ônibus ao invés de subir pra 10 reais vai baixar para 4 reais… Acabo de assinar aqui no gabinete na prefeitura a lei aprovada pela Câmara que impede que a passagem de ônibus suba e abaixa ela para 4 reais”.

Foi dessa maneira que o prefeito anunciou a sanção do PL aprovado no mesmo dia, em segunda votação, pelos vereadores da cidade.

O projeto de lei prevê a subvenção com recursos públicos das passagens de usuários que já possuem isenção no sistema, como idosos e pessoas com deficiência. O custo atual dessas gratuidades é repartido entre todos os passageiros pagantes do sistema de transporte.

Com o projeto de lei, a receita será assumida pela Administração Municipal, num valor estimado em até R$ 25.277.389,81.

O Executivo afirma que tais recursos serão provenientes de um superavit de R$ 102.217.116,17 na arrecadação municipal em 2021.

Desta forma, a Prefeitura conseguirá reduzir o valor da tarifa dos atuais R$ 4,25 para R$ 4,00.

Nas redes sociais o prefeito comemorou o fato nesse sábado:

“Além de baixar a tarifa do busão a lei aprovada tem grande alcance social. A prefeitura vai pagar a passagem para pessoas que tanto precisam e que continuarão a usar o ônibus sem ter que pagar. São elas:

– Pessoas com Deficiência e acompanhantes

– Idosos

– Pessoas com Câncer Maligno que fazem tratamento

– Aposentados por invalidez

– Renais Crônicos que fazem hemodiálise

– Pessoas com AIDS

– Pessoas com problemas Crônicos de saúde que precisam de fisioterapia

– Crianças e adolescentes que necessitem de educação especializada, e acompanhantes

– Crianças e Adolescente em situação de pobreza que frequentem serviços socioeducativos/assistenciais pra aprender uma profissão

– Forças de Segurança (Polícia Militar, Guarda Municipal) e Tiro de Guerra

– Agentes de Saúde; dentre outros

Antes a passagem desses nossos irmãos e irmãs londrinenses era pago pelas pessoas que usavam os ônibus, os usuários do transporte. Esse custo estava imbutido na tarifa que era 25 centavos mais cara em razão dessas gratuidades.

Agora ao invés de estar na tarifa e ser pago pelo usuário do transporte, a prefeitura é quem vai pagar a passagem para essas pessoas.

E com isso reduzimos o preço do busão.

Isso vai beneficiar os trabalhadores, as famílias, os empresários que pagam o vale transporte, dentre tantas outras pessoas.

O projeto também coloca como prioridade o pagamento do salário dos valorosos motoristas e funcionários das empresas de ônibus.

É esse o projeto que agora virou lei. Só isso. Simples assim, e NADA além disso. É benefício pra toda cidade”.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta