Cancelado Carnaval de Rua em São Paulo por causa de Ômicron e Gripe

Segundo prefeitura, público que costuma frequentar, majoritariamente utiliza transporte coletivo para ir aos desfiles, principalmente ônibus e/ou trem (51,4%) e só ônibus (31,6%)

ADAMO BAZANI

A prefeitura de São Paulo decidiu de forma oficial na manhã desta quinta-feira, 06 de janeiro de 2022, cancelar o Carnaval de Rua na cidade.

Com isso, os blocos não poderão ser realizados em mais um ano.

O motivo é a alta de infecções por covid-19, em especial com a variante Ômicron do coronavírus, e da expansão de casos de pessoas infectadas pela gripe causa pelo vírus da influenza H3N2.

O evento que era cogitado para ser realizado no complexo do autódromo de Interlagos também foi cancelado pelo prefeito Ricardo Nunes.

A decisão se deu depois de uma reunião com técnicos da Secretaria da Saúde.

Assim, já cancelaram eventos de Carnaval de Rua até agora em todo o Brasil; São Paulo, Campo Grande, Cuiabá, Teresina, Belém, Fortaleza, Salvador, Rio de Janeiro, Florianópolis e Curitiba, São Luís, Recife e Maceió.

Por enquanto, os desfiles no Sambódromo do Anhembi, na zona norte da capital paulista, estão mantidos.

Além da concentração nos locais de blocos de carnavais de rua, outra preocupação é com o caminho, gerando mais ainda lotação nos serviços de ônibus, trens e metrô.

Pesquisa do Observatório do Turismo da Prefeitura de São Paulo, feita em 2020, mostrou que do público que vai ao Carnaval de Rua, 51,4% usam ônibus com trem/metrô e 31,65 só ônibus.

O levantamento mostra ainda que 73,6% dos foliões moram na capital.

Antes mesmo da decisão formalizada nesta quinta-feira, mais de 250 blocos já haviam comunicado desistência.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Rodrigo Zika disse:

    Pelo menos foram coerentes dessas vez.

Deixe uma resposta