Prefeito de Londrina propõe redução de tarifa de ônibus para R$ 4

Câmara terá de aprovar. Empresas pediram cerca de R$ 10 por passageiro

ADAMO BAZANI

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, anunciou em entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira, 03 de janeiro de 2022, a proposta de redução do valor da tarifa de ônibus dos atuais R$ 4,25 para R$ 4.

A Câmara Municipal ainda terá de aprovar.

Segundo Belinati, o valor seria possível com a recuperação esperada da demanda de passageiros perdida com a pandemia de covid-19.

Na visão do prefeito, se a demanda atingir 90% do que era antes da pandemia, já será possível alcançar um equilíbrio nas contas.

As duas empresas de ônibus que operam na cidade apresentaram planilhas pelas quais alegam que a tarifa deveria ser bem maior para cobrir os custos:, R$ 10,15 nas contas da Transportes Coletivos Grande Londrina (TCGL), o que daria 149% de aumento e; pelos cálculos, da Londrisul Transportes Coletivos, o valor necessário é de R$ 9,19, alta de 116%.

Algumas gratuidades serão assumidas pela prefeitura – o que antes era rateado na tarifa, passa agora a ser assumido pelo Município e em contrapartida tirado o valor da tarifa. As gratuidades são de idosos a partir de 65 anos, os aposentados por invalidez, as pessoas com deficiência física, mental, sensorial e seus acompanhantes, pessoas das forças de segurança, pessoas com câncer maligno que façam tratamento de quimioterapia e/ou radioterapia

Art. 1º. Fica o Município de Londrina autorizado a pagar a passagem integral
do Sistema de Transporte Público Coletivo, das pessoas elencadas nos incisos
I, II, III, IV, V, VI, IX, X, XI, XII e XIII do Art. 36 da Lei Municipal n° 5.496/1.993, já
alterada pela Lei Municipal n° 12.641/2017, dentre elas os idosos, os
aposentados por invalidez, as pessoas com deficiência física, mental, sensorial
e seus acompanhantes, pessoas das forças de segurança, pessoas com
câncer maligno que façam tratamento de quimioterapia e/ou radioterapia,
além de arcar com o custo de eventual diferença necessária para cobrir o
custeio do serviço de transporte público coletivo de passageiros, de modo a
estabelecer um preço de tarifa no menor valor possível, de acordo com a Lei
Federal n° 12.587/2012, e de modo a garantir a manutenção do equilíbrio
econômico financeiro do serviço, conforme disciplinam o Art. 55, inciso XI, da
Lei n° 8.666/1.993 e Art. 9º da Lei n° 8.987/1.995.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta