Nunes publica PPA 2022-2025 com R$ 139,5 milhões para corredores e R$ 47,5 milhões para corredores de ônibus pelo Fundurb

Ciclovias terão R$ 3 milhões nas verbas do Fundo

ADAMO BAZANI

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, publicou nesta quarta-feira, 29 de dezembro de 2021, a lei 17.729, com os recursos para o PPA (Plano Plurianual) referente ao período entre 2022 e 2025.

De acordo com a lei, os investimentos neste período não podem ser inferiores a R$ 5 bilhões.

O texto sofreu mudanças na Câmara Municipal de São Paulo, sendo assim, publicado o substitutivo do PPA original, que foi aprovado pelos vereadores.

O PPA deve ter vínculo com o Programa de Metas da Prefeitura 2021-2024 e a Agenda Municipal 2030.

Na área de mobilidade urbana, o Fundurb (Fundo Municipal de Desenvolvimento Urbano) vai contar até 2025 com R$ 298 milhões.

Para a implantação de corredores de ônibus novos, serão R$ 139,5 milhões.

Já a construção de terminais de ônibus, vai contar até 2025 com R$ 47,5 milhões no Fundurb

As ciclovias terão à disposição no Fundo, R$ 3 milhões.

Como mostrou o Diário do Transporte, contando todos os recursos municipais, o PPA 2022-2025 contempla R$ 23,4 bilhões para mobilidade urbana e avanços em metas ambientais.

Na área de Mobilidade Urbana, o PPA replica o que já foi condensado no Plano de Metas.

Traçado por Eixos temáticos, a área de Mobilidade está concentrada no Eixo SP Ágil, cujo objetivo é garantir a qualidade e segurança das vias públicas e da infraestrutura viária, atingir grau de excelência em segurança viária, com foco na diminuição do número de acidentes e de vítimas fatais no trânsito e garantir o acesso ao Sistema Municipal de Transportes, de forma segura, acessível e sustentável.

Com previsão orçamentária total de R$ 23,4 bilhões para os próximos 4 anos, o programa SP Ágil está vinculado ao Plano de Metas, com as seguintes proposições:

Implantar quatro novos terminais de ônibus;

Implantar corredores de ônibus no modelo BRT (Bus Rapid Transit) na Avenida Aricanduva e na Radial Leste;

Viabilizar 40 quilômetros de novos corredores de ônibus;

Implantar 50 quilômetros de faixas exclusivas de ônibus;

Aumentar em 420 quilômetros a extensão de vias atendidas pelo sistema de ônibus;

Garantir que 100% dos ônibus estejam equipados com acesso à internet sem fio e tomadas USB para recarga de dispositivos móveis; e

Que, ao menos, 20% da frota seja composta por ônibus elétricos.

Até 2030, a proposta é reduzir as emissões de poluentes atmosféricos (material particulado – 90%, NOx – 80% e GEE – 50%), conforme determinações da Política de Mudança do Clima, impactando na melhoria da qualidade do ar e promovendo a gestão eficiente da Frota de Ônibus que presta serviço de transporte público no município de São Paulo.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/10/14/plano-plurianual-2022-2025-da-prefeitura-de-sp-preve-r-234-bilhoes-para-mobilidade-urbana-e-avancos-em-metas-ambientais-_programa-preve-implantar-brts-aricanduva-e-radial-leste-viabilizar-40-quilo/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta