Diário no Sul

Maioria dos usuários do transporte de Foz do Iguaçu está insatisfeita com a qualidade do serviço

Prefeito apresentou a pesquisa na Câmara de Vereadores. Foto: Welyton Manoel / PMFI

Para 34,4% o transporte coletivo da cidade é péssimo; 18,7% o consideram ruim

ALEXANDRE PELEGI

Uma pesquisa feita pela Prefeitura Municipal e pela Foztrans – Instituto de Transporte e Trânsito de Foz do Iguaçu, não trouxe boas notícias para quem opera o transporte coletivo na cidade paranaense.

Apresentada na Câmara Municipal da cidade nesta segunda-feira, 20 de dezembro de 2021, a pesquisa apurou que 70% dos usuários do sistema de ônibus de Foz estão insatisfeitos ou muito insatisfeitos com o serviço.

No quesito avaliação do transporte coletivo como um todo, 34,4% o consideram péssimo; 18,7% ruim; 30,3% regular; 12,8% bom; 3,3% ótimo; e 0,5% não sabem ou não opinaram.

Foram entrevistadas quase 1.500 pessoas, entre usuários, não usuários e motoristas. A pesquisa teve duas fases: a quantitativa e a qualitativa, realizada de 18 a 25 de novembro deste ano.

Para o prefeito de Foz, Chico Brasileiro, a pesquisa é mais um instrumento que vai embasar as decisões necessárias sobre o serviço municipal.

“O transporte coletivo é uma questão de toda sociedade, não apenas de quem usa, pois interfere em outras importantes áreas, como a saúde, a mobilidade urbana. Por isto, o poder público não pode se omitir e estamos tomando as medidas necessárias”, complementou Brasileiro.

Os usuários elegeram ainda como principais pontos negativos o atraso/demora entre um ônibus e outro (17,2%); a falta de ônibus no ponto (15,6%); a superlotação (13,3%); o horário das frotas (9,2%); e as poucas frotas de ônibus (6,2%).

OUTROS DADOS

A pesquisa trouxe outros dados sobre o sistema de transporte de Foz do Iguaçu:

= 67,2% dos usuários acreditam que o transporte piorou no último ano;

= 23,1% estão insatisfeitos quanto à frequência dos ônibus, e 42,1% muito insatisfeitos;

= 65,4% dizem que os veículos estão muito ocupados e 19,7% responderam que estão ocupados em excesso.

Os usuários responderam ainda quais são os itens que julgam importantes nos ônibus:

= álcool em gel (62,3%);

= ônibus com mais assentos (61,3%);

= ônibus com ar condicionado (56,2%);

= câmeras de segurança (46,9%);

= wi-fi (26,2%);

= tomadas e conectores USB (20,5%);

e espaço para transporte de bicicletas (12,8%).

Quanto ao custo da passagem, há divergências sobre aumentar o valor vinculando a investimentos em melhorias na frota de ônibus e no sistema de transporte coletivo:

= 17,% concordam totalmente;

= 25,1% concordam parcialmente;

= 14,6% não concordam, nem discordam;

= 12,1% discordam parcialmente;

e 30% discordam totalmente.

Outro dado interessante é quanto a quem deixou de usar o sistema de ônibus: 74,5% dos não usuários disseram que voltariam a usar o transporte coletivo.

PESQUISA ON-LINE

A prefeitura também realizou uma pesquisa on-line entre 20 de outubro e 10 de dezembro, mas os resultados foram ainda piores: 71% respondeu estar muito insatisfeito com o transporte, e 24,3% insatisfeitos.

Principais pontos negativos apontados:

= poucos horários/pontualidade (24,8%),

= falta de ônibus (22%),

= superlotação (20,1%),

= falta de linhas (9%),

= preço/formas de pagamento (8,1%).

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta