Governo do Estado assina convênio com a cidade de Caieiras para viabilizar o Trem Intercidades

Foto: Reprodução/STM

Objetivo é conseguir o apoio do município no levantamento de informações para o projeto

WILLIAN MOREIRA

O Governo do Estado de São Paulo, por meio do secretário dos Transportes Metropolitanos, Paulo Galli, assinou nesta terça-feira, 21 de dezembro de 2021, um convênio com a cidade de Caieiras, na Grande São Paulo, para viabilizar o projeto do TIC (Trem Intercidades).

Com o acordo firmado entre as partes será possível que a gestão Doria tenha acesso a documentos da cidade como o Plano Diretor, Lei de Uso e Ocupação do Solo, Lei Orgânica do Município, entre outros dados importantes para viabilizar o estudo do TIC em sua passagem por dentro da cidade.

Bens tombados, limitações estruturais ou a necessidade de ajustes em leis municipais, além de garantias jurídicas financeiras, técnicas, econômicas e políticas para o sucesso do projeto, ficam viáveis com este convênio cuja validade é de cinco anos.

A parceria com o município de Caieiras é de extrema importância para o projeto do Trem Intercidades no Trecho Eixo Norte, que vai beneficiar os moradores da região, assim como a população do Estado de São Paulo. Esperamos assinar convênios como esse ainda com outros municípios próximos, que também são essenciais para dar seguimento ao desenvolvimento do TIC”, destacou o secretário dos Transportes Metropolitanos, Paulo Galli em nota divulgada para a imprensa.

SOBRE O TREM INTERCIDADES

O Projeto do Trem Intercidades tem estimativa de investimentos de R$ 8,5 bilhões provenientes do poder público e da iniciativa privada para a construção de uma linha de trem com alta velocidade entre as cidades de São Paulo e Campinas na primeira fase, parando no meio do percurso em Jundiaí.

Outra parte do TIC inclui o serviço parador entre Campinas e Francisco Morato, atendendo às cidades Louveira, Valinhos e Vinhedo e a concessão da Linha 7-Rubi de Luz até Francisco Morato.

No ato da seleção da empresa vencedora, a concessionária ficará responsável pela aquisição de novos trens, adequar o traçado e infraestrutura de via permanente e construir vias para os novos serviços, além de implantar novos pátios e equipamentos de manutenção, além de melhorias nas estações já existentes.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta