Estapar alerta sobre o uso de vagas de estacionamento nas ruas de São Paulo

Objetivo é orientar para que os condutores não sejam multados ao cometer infrações por desconhecerem o funcionamento do uso das vagas rotativas

WILLIAN MOREIRA

A Estapar, empresa de estacionamento presente em vários pontos do país, divulgou informações sobre o uso e ocupação das vagas de estacionamento nas ruas de São Paulo para incentivar a utilização destes locais pelos motoristas.

Em parceria com a Prefeitura de São Paulo, a empresa quer garantir que todos tenham acesso às vagas e consigam de forma mais rápida e segura estacionar seus veículos.

A primeira orientação é sobre o CAD (Cartão Azul Digital) que pode ser comprado de três maneiras, no aplicativo Estapar Nova Zona Azul – SP, no site da empresa ou em mais de 850 estabelecimentos comerciais credenciados, localizados próximos das vagas espalhadas pela cidade.

“A modernização do sistema Nova Zona Azul Digital permite que os clientes possam ativar o CAD e achar onde tem mais vagas disponíveis por meio do mapa de ocupação disponibilizado no aplicativo. E para aqueles que estiverem sem acesso à internet e precisarem ativar o CAD fisicamente há disponível mais de 850 pontos comerciais credenciados, como bares, restaurantes, farmácias, bancas de jornal, entre outros, espalhados pela capital. É importante ressaltar que não existem pessoas autorizadas a comercializar o CAD e abordar os consumidores pelas ruas”, explica Beto Costa, Diretor da Nova Zona Azul Digital em nota divulgada para a imprensa.

Aos clientes que possuírem dúvidas quanto onde encontrar os pontos de venda oficiais, é orientado consultar o site https://novazonaazulsp.estapar.com.br ou baixar o aplicativo Estapar Nova Zona Azul — SP.

Com as orientações a empresa também espera evitar que os condutores fiquem a mercê de vendedores ilegais que atuam em diferentes regiões, principalmente onde existe maior concentração de público ou pontos de interesse.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta