Itapemirim suspende todos os voos nesta sexta-feira (17)

Companhia diz que se trata de “reestruturação interna”; Problemas foram atribuídos a não pagamentos de terceirizados

ADAMO BAZANI

Quem depende da ITA (Itapemirim Transportes Aéreos) encontra transtornos nesta sexta-feira, 17 de dezembro de 2021.

Todos os voos da companhia presidida por Sidnei Piva foram suspensos.

Não há previsão de retorno.

Publicações especializadas em transporte aéreo dizem que se trata de um problema de paralisação de serviços terceirizados, que não estão sendo pagos pela Itapemirim.

Passageiros foram pegos de surpresa e se revoltaram, dizendo que não estão recebendo atendimento e orientação por parte da ITA. A paralisação é no País inteiro.

Os relatos em redes sociais dão conta que não há ninguém para atender em nome da Itapemirim Transportes Aéreos.

Usuários relatam também que um endereço de e-mail colocado à disposição dos passageiros está retornando as mensagens, orientando a procurar um chat, onde também dizem que não conseguem atendimento.

Por meio de nota ao Diário do Transporte, a empresa confirmou a paralisação e atribuiu o fato a “reestruturação interna”, sem detalhar o que significa essa restruturação.

A empresa diz que vai realizar “máximos esforços” para voltar a operar, mas não deu previsão.

Ainda de acordo com a companhia, as operações de ônibus da Viação Itapemirim não são prejudicadas.

Aviso à imprensa

ITA suspende temporariamente todas as suas operações
O Grupo Itapemirim informa que, por iniciativa própria, suspendeu temporariamente as operações de sua companhia aérea, a ITA, no início da noite desta sexta-feira (17) para uma reestruturação interna.
A decisão foi tomada por necessidade de ajustes operacionais. A ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) já foi informada da decisão.
A ITA lamenta os transtornos causados e afirma que irá continuar prestando toda assistência aos passageiros impactados, conforme prevê a resolução 400 da ANAC.
A companhia orienta os passageiros com viagens programadas para os próximos dias que entrem em contato pelo e-mail falecomaita@voeita.com.br.
A companhia irá dedicar o máximo esforço para, em breve, retomar seus voos.
O Grupo Itapemirim informa também que essa decisão não afeta a prestação de serviço do transporte rodoviário, por meio da Viação Itapemirim, cujas operações seguem normalmente.

As empresas da Itapemirim estão em recuperação judicial desde março de 2016.

Entre dívidas com fornecedores, trabalhistas, bancárias, tributárias e de administração, os valores se aproximam de R$ 2 bilhões.

Em 2017, juntamente com outros empresários, Sidnei Piva comprou a Viação Itapemirim e suas empresas coligadas, até se tornar principal controlador com a saída da sócia Camila Valdívia, que fundou uma empresa de ônibus de menor porte chamada Amarelinho.

Em 2o20, Piva cria a ITA (Itapemirim Transportes Aéreos), que não está na recuperação judicial, mas sua constituição é discutida entre os credores.

A empresa tem sido alvo de reclamações de passageiros por constantes atrasos e parcelamentos e protestos por parte dos funcionários que alegam que reiteradamente a ITA tem atrasado salários e benefícios.

Em um comunicado interno, ao qual o Diário do Transporte teve acesso, a empresa orienta os funcionários a procurarem os Recursos Humanos para mais explicações a partir de segunda-feira (20).

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Waldemar Araujo disse:

    É a 2a vez que ela entra no setor aéreo. Da 1a vez foi com a Itapemirim Cargas

Deixe uma resposta