Pêssego Transportes tem protesto na manhã desta segunda (13) na zona Leste de São Paulo

Entre regiões prejudicadas estão a de Itaquera e Tatuapé

ADAMO BAZANI

Um protesto de integrantes da Pêssego Transportes, que atua na zona Leste de São Paulo, prejudica quem depende dos serviços de ônibus na região.

Os ônibus seguiram em “operação tartaruga” em fila, afetando as linhas da empresa, que reúne integrantes de uma cooperativa convertida em viação, mas também de outras companhias por causa do trânsito que estão gerando.

A paralisação prejudicou regiões como de Itaquera e Tatuapé. Os manifestantes caminharam até o Viaduto do Chá.

Por volta de 11h, o comboio seguiu pela Radial Leste sentido Bairro, na altura da estação de metrô Carrão.

Os donos de ônibus da Pêssego Transportes, que também são os motoristas, dizem que há atrasos nos repasses por parte da SPTras em relação à remuneração pelos serviços prestados.

A SPTrans (São Paulo Transporte), que gerencia o sistema, informou, em nota, que vai autuar a empresa e que os repasses são feitos em dia.

A SPTrans informa que a Pêssego Transportes será autuada de acordo com o Regulamento de Sanções e Multas (Resam) na constatação de descumprimento de partidas das linhas cujos veículos foram utilizados no protesto. Além disso, a empresa será notificada e penalizada nos termos do contrato de concessão vigente. Representantes da Pêssego utilizaram alguns veículos que atendem as linhas da região de Itaquera, nesta segunda-feira, 13 de dezembro, e em carreata estão se deslocando para a Prefeitura.

A equipe de fiscalização permanece monitorando a operação para assegurar o atendimento aos passageiros.

A SPTrans esclarece que os pagamentos estão sendo efetuados dentro do previsto.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. GASPAR PJ AMPARO disse:

    DONOS DOS CARROS?OS CARROS NÃO SÃO DA EMPRESA?…AS EQUIPES DE FISCALIZAÇÃO ESTÃO MONITORANDO?KKKKKK…A SP TRANS SEMPRE CORRETA NÉ…NINGUÉM FAZ GREVE ATOA.

Deixe uma resposta