MP ajuíza ação para que Prefeitura de Teresina (PI) regularize transporte alternativo

MP pede um aumento do número de vans, uma consulta pública com os moradores para melhorar os itinerários e determinar que a Strans efetue ações de fiscalização. Foto: Jucier Ylias/Ônibus Brasil.

Foco é o atendimento na região dos Residenciais Bem Viver I e Bem Viver II, localizados no Bairro Lourival Parente

WILLIAN MOREIRA

O MP-PI (Ministério Público do Piauí) entrou com uma ação civil pública contra o município de Teresina, para que ocorram melhorias na prestação do serviço de transporte complementar na região dos Residenciais Bem Viver I e Bem Viver II, no bairro de Lourival.

A ação movida pelo MP atende denúncias dos moradores da localidade, que alegam o descumprimento de itinerários e horários previamente definidos pelas vans, além das péssimas condições das ruas.

Tudo começou com um inquérito instaurado em julho de 2019 para apurar essas irregularidades.

Desde então, foram realizadas sete audiências, contando com moradores dos residenciais, representantes da Strans (Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito) e motoristas das vans que atuam no transporte alternativo.

Por parte da Prefeitura, alguns ajustes de infraestrutura das ruas foi efetuado, mas não foi o suficiente para solucionar a maioria dos problemas.

Diante disso, o MP pede um aumento do número de vans, uma consulta pública com os moradores para melhorar os itinerários e determinar que a Strans efetue ações de fiscalização.

O processo ficou na 1ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública da Comarca de Teresina, com Aderson Antonio Brito Nogueira como responsável pelo julgamento da ação pública.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta