Natal (RN) passa a cobrar tarifa em linha de ônibus com destino à Universidade Federal

Decisão foi tomada após 'elevada perda no número de passageiros', segundo a Prefeitura. Foto: STTU.

Gratuidade é concedida apenas por meio da integração no transporte

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Natal (RN) passou a cobrar tarifa na linha de ônibus com destino à UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte).

Em nota, por meio da STTU (Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana), a Prefeitura esclarece que a integração dos usuários que vem do sistema de transporte coletivo de Natal permanece gratuita para a linha alimentadora UFRN, sem qualquer custo adicional.

“O que ocorria era que, no caso dessa linha, o custo operacional era subsidiado pelas demais linhas do sistema, ou seja, o sistema de transporte custeava a tarifa dos usuários do antigo circular da UFRN. Contudo, o atual cenário, de elevada perda no número de passageiros, coloca em xeque o equilíbrio que garante o funcionamento de tal operação”, justifica a Prefeitura, também em nota.

Segundo a STTU, os usuários da nova linha alimentadora UFRN, vindos do sistema de transporte de Natal, farão integração através da bilhetagem eletrônica, tanto na chegada como na saída do Campus Universitário.

Assim, na vinda das linhas que têm tarifa de R$ 1,95 (meia estudantil), o passageiro fará a integração sem pagamento adicional. Já na saída da UFRN, tendo em vista que a tarifa é R$ 1,60 (meia estudantil), haverá o pagamento complementar de R$ 0,35 para completar a tarifa normal do sistema.

Já nos demais deslocamentos, o passageiro pagará a tarifa R$ 1,60 (meia) e R$ 3,20 (inteira), tanto nos pagamentos em cartão ou em dinheiro.

“É necessário ressaltar que o sistema de transporte público visa garantir o deslocamento dos passageiros entre o Campus e as demais regiões da cidade, o que é garantido com a linha alimentadora UFRN com o pagamento de uma única tarifa”, ressalta a Prefeitura, em nota.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta